Cidade

13º salário gera expectativas em empresários locais para girar as engrenagens da economia são-mateuense

Só a Prefeitura Municipal é responsável por mais de R$ 10 milhões de reais com o pagamento do funcionalismo público. (Foto: Alexandre Müller/Gazeta Informativa)

Com a chegada do fim de ano os são-mateuenses, fazendo jus ao restante dos cidadãos brasileiros, já planejam o que fazer com o dinheirinho que entra com o 13º salário e em alguns casos, com os valores acumulados do próprio salário dos meses de novembro e dezembro.

Mais acostumado a gastar do que poupar, o brasileiro sempre pensa nesse dinheiro como uma forma de ter um Natal mais próspero. Para muitos, fim de ano também é sinônimo de dinheiro extra entrando na conta e, por isso, alguns se perguntam qual deve ser a prioridade do uso deste ganho extra.

De acordo com a pesquisa, fornecida pela Câmara de Dirigentes Lojistas de São Mateus do Sul (CDL), provinda pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), dois em cada dez trabalhadores que recebem décimo terceiro salário devem utilizar ao menos parte desse dinheiro extra para comprar presentes de Natal.

O recebimento do décimo terceiro salário também é visto pelos consumidores como uma oportunidade para organizar a vida financeira, sendo que 17% dos trabalhadores pretendem utilizar o dinheiro extra para quitar dívidas que estão em atraso. Há ainda 16% que vão gastar o recurso durante as festividades de Natal e Ano Novo, e 13% que vão pagar despesas essenciais da casa, como contas de água e luz. Outra alternativa que aparece com menos força, é guardar o dinheiro extra para cobrir tributos e impostos típicos de início de ano, como o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).

O pagamento do 13º salário deve injetar R$ 211,2 bilhões na economia brasileira até dezembro deste ano, segundo estimativa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), essa quantia equivale cerca de 3% do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

Em São Mateus do Sul, somente a folha dos servidores públicos municipais injetará no mês de dezembro mais de R$ 10 milhões, segundo o executivo municipal, que já efetuou o pagamento do salário dos funcionários da Prefeitura Municipal, respectivo ao mês de novembro, o 13º salário na última quarta-feira (5) e prevê o pagamento da folha do funcionalismo no dia 21 deste mês. Atualmente o valor da folha de pagamento dos servidores municipais é de R$ 3.407.702,56.

De acordo com o Prefeito, Luiz Adyr Gonçalves Pereira, os respectivos valores do 13º salário junto dos salários dos meses de novembro e dezembro darão um impacto altamente positivo para a economia municipal. “Obviamente queremos que o comércio aproveite isso e atraia os clientes para investir o capital no comércio local. Que todo esse giro monetário traga alegria aos lares das famílias são-mateuenses”, diz.

“Gostaríamos de estar com a máquina à todo vapor, mas o custo da folha de pagamento do funcionalismo é muito alto, mas nossa primordial atribuição é arcar com essa despesa. Sempre buscamos o equilíbrio econômico financeiro das contas públicas e hoje as coisas caminham de melhor forma do que em relação há anos anteriores”, completa o Prefeito.

Cerca de 84,5 milhões de brasileiros receberão o rendimento adicional, pago aos trabalhadores com carteira assinada, aposentados e pensionistas da Previdência Social, União, estados e municípios. O valor médio do 13º salário que será pago em 2018 é estimado em R$ 2.320,00.

Há uma grande expectativa que todo esse montante de capital possa colaborar efetivamente com as rodas das engrenagens da economia municipal e consequentemente colaborar de forma mútua com empresários, poder público e mesmo com os trabalhadores que serão a fonte de toda a circulação.

O empresário são-mateuense Gilberto Staniszewski, um dos proprietários das Lojas Leonardo, acredita no potencial desta engrenagem para o desenvolvimento do nosso município. “Esse é o dinheiro extra que acaba sendo investido na própria cidade e ajuda a fortalecer o comércio local, trazendo maior possibilidade de compra do consumidor e mais movimento nas lojas. Os clientes vêm comprar os presentes de Natal, e também aproveitam para comprar algo que estão esperando o ano inteiro, seja um eletrodoméstico, uma tv ou estofado. Isso aquece o comércio, além da criação de empregos temporários, garantindo a estas pessoas um extra que também será destinado às compras de final de ano”.

De onde vem o 13º

O nosso 13º salário como popularmente é conhecido, é a gratificação de Natal que foi instituída no Brasil pela lei nº 4.090, de 13/07/1962, garantindo que o trabalhador receba o correspondente a 1/12 avos da remuneração por mês trabalhado. Ou seja, consiste no pagamento de um salário extra ao trabalhador no final de cada ano.

Tem direito à gratificação todo trabalhador com carteira assinada, sejam trabalhadores domésticos, rurais, urbanos ou avulsos, a partir de quinze dias de serviço, bem como os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

O cálculo do décimo terceiro salário é feito da seguinte forma: divide-se o salário integral do trabalhador por doze e multiplica-se o resultado pelo número de meses trabalhados. As horas extras, adicionais noturno e de insalubridade e comissões adicionais também entram no cálculo da gratificação. Se o trabalhador tiver mais de quinze faltas não justificadas em um mês de trabalho ele deixa de ter direito ao 1/12 avos relativos àquele mês.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Observatório Social do Brasil empossa primeira diretoria local em cerimônia promovida na ACIASMS
Luiz Adyr reassume a administração municipal de São Mateus do Sul após período de férias
Obras de pavimentação nas Ruas Antônio Bizinelli e Pedro Turek são iniciadas nos últimos dias