Cidade

1º Simpósio da IG-Mathe é realizado em São Mateus do Sul

Evento contou com palestra sobre liderança, motivação e a apresentação de dados obtidos em pesquisa acadêmica sobre a conquista da IG-Mathe. (Foto: Alexandre Müller/Gazeta Informativa)

Na noite de terça-feira (21/11), a Associação dos Amigos da Erva-mate (IG-Mathe), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o Centro Universitário de União da Vitória (UNIUV) e a Prefeitura Municipal de São Mateus do Sul promoveram o 1º Simpósio da IG-Mathe: perspectivas da erva-mate no desenvolvimento regional, na sede do núcleo universitário da instituição superior no município.

O evento contou com a palestra da empresária e coach de alta performance nacional, Ione Cortese, que abordou os temas sobre liderança e motivação, cativando as dezenas de acadêmicos, autoridades, ervateiros e produtores que aguardavam ansiosos pela demonstração dos dados obtidos na pesquisa acadêmica coordenada pelos professores Marivanda Bortoloso Pigato e Filipe Santos, que orientaram as acadêmicas Franciele Nadolny, Mayara Griten e Thuani Mruz.

Projeto de Extensão: Empreendedorismo e Inovação

Sabendo da importância e do impacto que o empreendedor exerce sobre a economia local e regional do país, a UNIUV e o curso de Administração desenvolveram o projeto de extensão focado em: “Empreendedorismo e Inovação”, tendo como objetivo identificar aspectos da inovação na gestão, nos produtos e nos processos, incentivando a cultura e empreendedorismo, fomentando a criação de negócios inovadores pelos estudantes dos cursos de graduação da UNIUV.

O projeto de pesquisa denominado: “Perspectivas da Erva-mate no Desenvolvimento Regional”, que visou descobrir a satisfação dos moradores em relação a conquista da Indicação Geográfica de São Mateus do Sul e microrregião, atestando a qualidade da erva-mate local, que com características de solo, clima da região e o método de cultivo, conferem identidade e padrão diferenciado no sabor. Os alunos atuaram com a aplicação de coleta de dados com perguntas definidas à 200 cidadãos de forma direta e 100 questionários online.

Dados obtidos

51% dos entrevistados foram mulheres e 49% homens, entre 16 e mais de 60 anos de idade, sendo que 23% dos entrevistados tinham entre 16 e 23 anos; 40% entre 26 e 39 anos; 24% entre 40 e 50 anos; 10% com idade entre 51 e 60 anos e 3% dos entrevistados possuíam mais de 60 anos de idade.

47% dos entrevistados residem nos bairros da cidade; 31% no centro e 22% no interior.

10% dos entrevistados concluíram ou não o ensino fundamental; 34% possuem apenas o ensino médio e 6% o ensino médio incompleto; 16% já concluíram o ensino superior e 15% ainda não concluiu; 16% dos entrevistados possuem nível de especialização, enquanto 3% não o concluíram.

70% pertence à classe geral da comunidade; 18% a classe dos empresários e 12% a classe de produtores e ervateiros.

82% das pessoas que responderam ao questionário tem o hábito diário de tomar o chimarrão, enquanto 18% não possui, sendo estes com idade entre 16 e 25 anos.

De acordo com a pesquisa, 94% dos são-mateuenses tem conhecimento sobre a conquista e apenas 6% desconhecem acerca do selo de indicação geográfica, sendo estes 12% residindo no interior; 8% nos bairros e 2% no centro.

Apenas 1% dos munícipes entrevistados estão satisfeitos com a obtenção da IG, enquanto 9% considera indiferente; 27% considera bom e 63% excelente.

De acordo com a pesquisa, o setor que menos o são-mateuense acredita que irá crescer com a IG-Mathe será o setor alimentício, com apenas 2% de crédito, enquanto: turismo 8%, comércio 11%, ervateiras 28% e 41% das entrevistas acredita que todos estes setores iram crescer simultaneamente.

62% dos entrevistados acredita que a conquista do Selo da IG-Mathe alavancará o potencial turístico da cidade, enquanto 33% consideram que talvez e 5% acreditam que não.

Conforme o mestre Filipe Santos, orientador do projeto de pesquisa, “as acadêmicas estão de parabéns pela apresentação do projeto, pois tivemos um trabalho árduo durante meses nessa pesquisa, com entrevistas diretas com vários cidadãos em vários locais de São Mateus do Sul e fomos surpreendidos pelo retorno significativo da comunidade. Essa pesquisa é apenas o início do grande trabalho, nós precisamos disseminar isso cada vez mais na sociedade, porque muitas vezes cai no esquecimento e torna-se uma atividade isolada, ao contrário de quando existe uma união e as coisas vão acontecendo e percebemos que o envolvimento que iniciou com três acadêmicas poderá ser destinado cada vez mais para as pessoas. Temos uma perspectiva muito positiva com a obtenção dos dados”.

Segundo Ronaldo Toppel Filho, presidente da Associação dos Amigos da Erva-mate (IG-Mathe), “o resultado foi surpreendente, muito acima das expectativas, não somente quanto ao conhecimento da população sobre o IG, mas da expectativa de que eles têm de que isso realmente pode ser um fator de melhorias, de desenvolvimento para São Mateus do Sul além da cadeia produtiva da erva-mate para a cidade e região no potencial turístico, de agregar valor ao produto. Estou muito satisfeito e muito mais animado para continuar o trabalho depois do resultado dessa pesquisa”.

De acordo com as acadêmicas, “acredito que conseguimos colocar em prática aquilo que aprendemos na teoria e tendo um projeto de extensão deste, ficamos mais próximos da comunidade e conseguimos ter noção do que é essa vivência dia a dia, não somente dentro da sala de aula e sim como vamos agir fora daqui, que podemos proporcionar melhorias para nosso município”, afirma Mayara Griten.

“A partir da pesquisa eles verão quais pontos poderão ser melhorados, por exemplo, os dados consideração ‘baixos’, serão analisados onde empenhar esforços”, relata Franciele Nadolny.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
São Mateus do Sul está entre os 104 município que receberão verbas no programa Paraná Mais Cidades
Nossa história: um livro, uma vida, um encanto
Confira a programação das celebrações que acontecerão no Dia de Finados em São Mateus do Sul