Educação e Cultura

32 Professores do Núcleo Regional de Educação de União da Vitória concluem o Programa de Desenvolvimento Educacional – PDE

Divulgação

32 Professores do Núcleo Regional de Educação de União da Vitória, concluíram no dia 15 de dezembro de 2015 o Programa de Desenvolvimento Educacional – PDE, com o Seminário de Encerramento na Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR) Campus União da Vitória, sendo 10 alunas de São Mateus do Sul. Essa é a sétima turma que encerra o programa, totalizando 12.607 professores em todo o Paraná que foram promovidos ao nível III de suas carreiras.

De acordo com a Pedagoga Luciane Maria Figueiredo de Souza, representante do PDE no NRE de União da Vitória, foram dois anos de muito estudo, encontros, seminários, formações tecnológicas, aulas teóricas, planejamento de ações, produção de materiais didáticos, Implementações nas escolas e por fim o artigo final, escrito por cada professor contendo as considerações finais do trabalho desenvolvido. “Parabenizamos a todos pela conquista e ressaltamos que como docentes assumem o compromisso com a escola e com a comunidade em que atuam, na perspectiva de contribuir com o processo ensino-aprendizagem, em busca de uma educação cada vez melhor e com qualidade”, diz.

A professora pedagoga Simone Siqueira Panek, que atua há alguns anos no Colégio São Mateus e tem experiência em todos os segmentos da educação, desde as séries iniciais do Ensino Fundamental, conta que teve a oportunidade de ser classificada e participar do programa durante estes dois anos, que foram muito importantes para ela, tanto para aprimorar seus conhecimentos como para seu dia a dia na escola.

Seu projeto de pesquisa teve como tema “Relações Interpessoais”, com o título “Contribuições da Relação de Ajuda nas Vivências Interpessoais para o Processo Ensino Aprendizagem”. Como a elaboração do projeto é de pesquisa-ação, ou seja, o projeto deve ser aplicado na escola em que estão lotados, Simone conta que desenvolveu após a pesquisa um Caderno Pedagógico com o tema disposto em oficinas a serem aplicadas aos professores. Também faz parte do curso a tutoria do GTR, curso online ofertado pela Secretaria Estadual de Educação do Paraná com participação de professores (as) pedagogos (as) que atuam em escolas estaduais do Paraná, onde o tema da pesquisa também foi discutido e analisado.

Todas as produções acadêmicas de material didático e artigos ficarão dispostos para serem utilizados nas escolas públicas do Estado. “Para finalizar o curso escrevemos um artigo sobre a pesquisa e no dia 15 de dezembro participamos do Seminário de encerramento do PDE 2014/2015 na UNESPAR. O curso foi muito importante para minha carreira na educação, pois como professora pedagoga acredito que a qualidade da educação está relacionada à formação e valorização do professor”, finaliza.

O projeto da professora Lisângela Bueno Samistraro foi aplicado no Colégio Orlanda Distéfani Santos da Vila Palmeirinha, no qual atua como Pedagoga. Sendo o público alvo os profissionais deste colégio. Teve oito encontros com palestras, grupos de estudos, dinâmicas, oficinas e atividades direcionadas ao Tema – Gestão Democrática e Participativa. Seu projeto teve como encerramento uma palestra sobre Liderança em Gestão com o administrador e colunista do jornal Gazeta Informativa Eleandro Soares, cuja já estava planejada no Caderno Pedagógico elaborado no decorrer do PDE.

Lisângela é formada em Ciências/Matemática (Readaptada) e trabalha na Educação há 25 anos. Segundo ela, iniciou muito nova, com a Educação Infantil e desde então sente que sua função na sociedade é orientar as pessoas e direcioná-las a torná-las melhores do que já são, a transformarem a realidade que estão inseridos, “pois acho que não é no futuro que farão parte da sociedade e sim, desde já devem ocupar o seu espaço e fazer a diferença. Não sou pessimista com relação ao meu país, e acho que aqui é o melhor lugar de se viver e aquilo que está ruim somos nós que temos que mudar, porém temos que traçar objetivos e não sair gritando pelas ruas sem saber o que se busca e nem o que está acontecendo de verdade. Este é o meu amor pela minha profissão, construir junto com nossos adolescentes e jovens esta consciência, livre de preconceitos e sempre em busca da justiça social”, diz.

Para Lisângela o PDE foi uma experiência enriquecedora, “um momento cujo qual voltamos a estudar, porém com a experiência do chão da escola, ou seja, olhamos a educação com outros olhos, posso falar por todas as minhas colegas da nossa turma, que o PDE é algo que nos transforma”, garante.
Lisângela relembra que tinha muito medo de não conseguir concluir o PDE, “pois tínhamos muito medo na greve de 2015 de perder o programa, pois o governador Beto Richa iria acabar com o programa caso não tivesse todo o nosso movimento, seria uma perda irreparável para a educação paranaense, pois este programa é sondado por universidades de outros países pela riqueza que traz tanto para as IES como para as escolas. Um dos diferenciais do PDE é sua essência, ligada à educação básica, com um compromisso entre essa e a produção científica inerente ao Ensino Superior. No movimento, provocado por esse compromisso, por meio da fundamentação teórica na academia e do retorno à escola de educação básica, a Implementação é um espaço particular no planejamento de cada professor, mas também coletivo, pois está inserida no contexto da educação concreta, pensada e vivida no interior das escolas”, conta.

Fundadora e proprietária da Gazeta Informativa, graduada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo e pós-graduada em Produção e Avaliação de Conteúdos para as Mídias Digitais.

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
É fantasma? Não! É apenas o corredor feito pelo Ceas no Halloween
Com Baile da Polka, Grupo Karolinka resgata tradição de dança popular polonesa
Na roda de chimarrão

Os comentários estão fechados