Esporte

90ª ed. da São Silvestre teve participação de moradores de São Mateus do Sul

A Corrida Internacional de São Silvestre, é uma das mais famosas e tradicionais provas de rua do mundo, idealizada pelo jornalista Cásper Líbero no ano de 1924. Em 2014, a corrida chegou à sua 90ª edição ininterrupta, que reuniu cerca de 30 mil pessoas. A competição acontece anualmente na cidade de São Paulo, no dia 31 de dezembro e tem um percurso atual de 15 quilômetros.

A prova ocorreu pela manhã, com largada na Avenida Paulista, perto da Rua Frei Caneca e chegada em frente ao prédio da Fundação Cásper Líbero, na mesma avenida. Alguns moradores de São Mateus do Sul que puderam participar, contam como foi a experiência.

Patricia D’Avila Carvalho (Foto: Arquivo Pessoal)

Patricia D’Avila Carvalho (Foto: Arquivo Pessoal)

A Curitibana, que reside há cinco anos em São Mateus do Sul, Patricia D’Avila Carvalho, participou pela primeira vez da corrida e, segundo ela, foi incrível. “Antes da prova fiquei muito ansiosa, ainda mais porque não consegui treinar nenhuma vez os 15 km, somente 12 km. Porém, completei os 15 km, que por sinal não foram fáceis, mas serão inesquecíveis. A energia e a quantidade de pessoas na competição são contagiantes. Eu quero participar novamente”, conta.

Patrícia comenta que nunca tinha pensado que teria a oportunidade de participar da corrida: “já tinha assistido muitas provas pela televisão e nunca imaginei que um dia eu estaria do outro lado correndo, foi incrível. Quem tiver a oportunidade de correr vá porque não vai se arrepender”. Segundo ela, seu tempo líquido foi de 01h 55min 29s, de 6.257 na classificação geral feminino, ficou em 2.656 e na classificação por faixa etária de 1.066 ficou em 490.

A ideia de participar, segundo Patricia, surgiu no fim de 2013 e veio como um desafio: “os homens (maridos) do nosso grupo de amigos tiveram a ideia de participar e fazer uma aposta de quem chegasse por último, pagaria a bebida do réveillon, na Avenida Paulista, em São Paulo. Quando abriram as inscrições, decidimos participar e correr. Mas, não tive muito tempo para treinar e com o fim do ano e a correria do trabalho, não consegui treinar o suficiente”, relata.

Patricia e seu marido Juliano Précoma Moreira (Foto: Arquivo Pessoal)

Patricia e seu marido Juliano Précoma Moreira (Foto: Arquivo Pessoal)

Claro que além de desfrutar de toda a diversão, Patricia diz que foi uma grande experiência e descobriu que tem muito mais força do que acredita: “eu pude perceber que tudo nessa vida, depende da sua força de vontade de atingir seus objetivos e eu tenho bastante. Uma coisa muito interessante da São Silvestre, é que quando você está cansado, diminuiu o ritmo ou caminha para pegar um fôlego, as pessoas que estão a seu lado, que mesmo nunca ter te visto, ou saber quem você é, te dão força e motivação para continuar, gritando: ‘Vamos. Falta pouco. Não Para. Só faltam alguns quilômetros.’ Aprendi com a corrida, que nunca devemos olhar para alguém que está correndo e julgar a forma, velocidade ou tempo, pois você não sabe o quanto aquela pessoa se superou para estar ali. E você saber o quanto é importante e gratificante você ultrapassar a linha de chegada”.

Patricia D’Avila Carvalho e Gisele Torres (Foto: Arquivo Pessoal)

A amiga de Patricia e também Curitibana, Gisele Torres, reside em São Mateus do Sul, desde 2007. Ela também participou da São Silvestre e comenta que foi uma grande festa. “Foi minha primeira participação na corrida. Gostaríamos de ter ido em 2013, mas meu marido se machucou e não pode treinar. Para este ano compramos a passagem e fizemos a reserva do hotel em fevereiro, estava decidido que iríamos nem que fosse para terminar caminhando. Treinamos de três a quatro vezes por semana. Todos que foram conosco conseguiram concluir os 15 km. Eu consegui concluir a corrida em 1 h e 54 minutos, foi um dia inesquecível”, conta Gisele.

Um dia antes da prova, Gisele conta que deu um frio na barriga e um medo de não conseguir completar a prova: “mas depois da largada senti uma energia enorme. É divertido ver as pessoas fantasiadas, animadas e motiva ver as pessoas mais velhas participando. Enfim, uma grande festa. Pretendo participar novamente”.

Thaís Siqueira

Fundadora e proprietária da Gazeta Informativa, graduada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo e pós-graduada em Produção e Avaliação de Conteúdos para as Mídias Digitais.

Últimos posts por Thaís Siqueira (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Inscrições para o Campeonato Municipal de Futsal 2019 estão abertas
Equipe Pedal Samas organiza passeio ciclístico para o Outubro Rosa nesta terça (8)
Álbum de figurinhas vira febre em São Mateus do Sul em ano de Copa do Mundo

Deixe seu comentário

*