Histórias de Terra e Céu

A Estrela de Belém

Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

Desde que os homens começaram a olhar com mais seriedade o céu, passaram a tentar entender os grandes eventos astronômicos da história. E talvez nenhum destes eventos tenha gerado mais discussões do que a Estrela de Belém. Que astro seria este? Poderia se encaixar dentro de algo conhecido na astronomia? Vamos embarcar juntos nesta história em que a fé e a ciência se cruzam.

Antes de discutirmos o que seria a Estrela de Belém, precisamos entender “quando” ela teria aparecido. Isso porque Jesus não nasceu no ano “zero” ou no ano “um”, como era de se esperar. Por erros nos calendários, hoje sabemos que Jesus nasceu em algum momento entre os anos 7 e 2 a.C. (sim, Jesus nasceu “antes de Cristo”!). Então. é nessa faixa de tempo que teríamos que “encontrar” a estrela.

Já no século III foi proposto que a Estrela seria um cometa. Até hoje muitos presépios representam a estrela-guia com uma grande cauda. Evoluindo na ideia, propôs-se que fosse o Cometa Halley. Mas calculando a data da passagem do Halley, o mesmo esteve no céu em 12 a.c., ou seja, fora do período.

Outra proposta que ganhou adeptos foi a da aparição de uma estrela nova. As novas surgem no céu, brilhando às vezes até durante o dia, e após algumas semanas se apagam. Seriam uma boa opção… Mas não há registros de novas nesta faixa de tempo.

Também foi aventada a possibilidade de que não se tratasse de uma estrela, mas sim de uma conjunção planetária. E realmente, no ano 7 a.c., houve uma tripla conjunção planetária de Júpiter e Saturno. Um evento extremamente raro, envolvendo os dois maiores planetas do Sistema Solar. Isso seria perceptível por qualquer pessoa? Provavelmente não, mas vamos lembrar que os “reis magos” não tinham nada de “reis”, e que a palavra “mago” poderia ser entendida como “astrólogo”. Ou seja, provavelmente eles observavam constantemente o céu esperando a “estrela” anunciada.

É claro que qualquer uma destas hipóteses acaba sendo mera especulação. Principalmente quando vemos a descrição de que a estrela parecia “andar” e levar os magos ao local exato do nascimento de Jesus. Nenhum destes objetos citados passearia pelo céu e pararia sobre uma gruta. Mas, ao mesmo tempo, é muito legal saber que gênios como Kepler, Tycho Brahe, Orígenes, Newton e tantos outros gastaram seus cálculos e hipóteses tentando entender o enigmático astro.

E mesmo que nenhum de nós vá descobrir o que realmente foi a Estrela de Belém, desejo que você tenha um céu estrelado neste Natal, e que o Criador (este sim sabe o que a Estrela era) abençoe você e sua família!.

Até a próxima semana e céus limpos para todos nós!

Gerson Cesar Souza
Últimos posts por Gerson Cesar Souza (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
O dia em que Nossa Senhora levou uma surra na Água Branca
O Amor que leva à Morte
Prohmann e o primeiro carro em São Mateus do Sul