Especial

A família de gansos que faz parte da família de Eunice e Paulo

Sabe aquela casa na Vila Prohmann que têm gansos de estimação? A Gazeta Informativa conversou com Eunice e Paulo que criam os animais há mais de 14 anos. (Fotos: Cláudia Burdzinski/Gazeta Informativa)

A Gazeta Informativa sempre dedica seu espaço para histórias inusitadas dos moradores do município – e olha que já saiu assuntos de todos os jeitos e estilos. Nessa semana você conhecerá um pouquinho mais sobre os animais de estimação mais que especiais do casal Paulo Alves Machado e Eunice Araújo Alves Machado, os gansos Austin, Petúnia e Denguinha, que chamam a atenção de quem passa pela Rua Valentin Gosik, na Vila Prohmann.

Gansos são criados por inúmeras pessoas pelo nosso interior a fora, mas o que mais chama a atenção é eles estarem no meio da cidade convivendo com os outros animais de estimação do casal. “Muitas pessoas param aqui na frente de casa para tirar foto deles”, afirma Eunice. Natural de Apucarana, localizada no centro-norte paranaense, Eunice relembra que desde que era solteira sentia vontade de criar gansos. “Pensava comigo: quando eu casar vou ter um casal de gansos”, relembra.

Após receber uma encomenda inusitada mandada por seu irmão há mais de 14 anos – o casal de gansos Chico e Chica –, sua criação de aves começou. “Já cheguei a ter 7 gansos nessa casa”, admite. Os cuidados para manter a saúde dos animaizinhos de estimação são simples: Eunice sempre mantem bacias de água limpa na calçada da casa, pois os gansos adoram banhar-se ao menos duas vezes ao dia. A alimentação tem em seu cardápio alface e outras hortaliças, e quando eles estão doentes Eunice e Paulo procuram medicá-los para manter a saúde em dia.

Desde que era solteira Eunice pensava em criar gansos. Hoje os animais fazem parte de sua família.

Eunice conta que durante a madrugada os gansos ficam andando pelo jardim da casa, e quando avistam algo suspeito fazem barulho para avisar os donos. “Principalmente o macho”, enfatiza. Durante o dia eles tiram cochilos e adoram as poças d’água nos dias de chuva.

Os animais já são conhecidos pelos vizinhos, familiares e amigos, que admiram a criação dos casal. “Alguns anos soltávamos eles para passearem pelas ruas próximas a nossa casa, quando eles iam longe, os vizinhos traziam eles de volta para nossa casa”, conta. Hoje pelos perigos da alta velocidade dos veículos que passam pela rua, os proprietários preferem deixar os gansos dentro do quintal por segurança.

Essa já é a quarta geração da família de gansos, Denguinha é a mãe de Petúnia e Austin, e convivem em harmonia dentro do quintal. “A Petúnia bota um dia sim, um dia não”, diz Eunice, que conta que seu esposo que trabalha na Unidade de Industrialização do Xisto (SIX), leva alguns ovos para os amigos. “Na SIX o Paulo é conhecido como o ‘Homem dos Gansos’”, diz de maneira irreverente.

O casal também tem cachorros de estimações, que convivem pacificamente com os gansos. O amor pelos animais sempre esteve presente na vida da apucaranense, que é vegetariana há mais de 30 anos. “Os meus gansos e meus cachorrinhos são a minha família”, finaliza.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
O sonho que saiu da fotografia: o são-mateuense e seu Maverick 75
Ação voluntária tem como objetivo a construção de lar à família de trabalhadores são-mateuenses
Samas Bier: o 1º Festival de Cerveja e Gastronomia em São Mateus do Sul acontece no sábado