Histórias de Terra e Céu

A Grande Descoberta

Quantos imigrantes espanhóis vieram para São Mateus do Sul antes dos poloneses? Quais eram essas famílias e quais delas permaneceram aqui? Quando chegaram os primeiros poloneses e qual era o número correto deles? Quantos adultos e quantas crianças chegaram aqui no início da imigração? Essas eram dúvidas que persistiam apesar de todas as pesquisas feitas sobre a imigração em São Mateus. Mas uma descoberta feita há duas semanas veio dar um fim a estes questionamentos. Embarque comigo nesta história!

Larissa Drabeski é uma excelente jornalista e fotógrafa, com quem já tive a oportunidade de trabalhar em alguns projetos. Há cerca de um mês ela me enviou uma mensagem perguntando se eu sabia onde poderia ser encontrada a lista dos primeiros imigrantes de São Mateus. Expliquei pra ela que eu possuía uma boa relação baseada em registros civis e da igreja, mas que a tal relação de entrada de imigrantes nunca havia sido encontrada. Eu sabia que ela existia, pois um site dos Mórmons afirmava ter o microfilme do documento.

Eu já havia revirado vários arquivos governamentais atrás desta lista, inclusive o Arquivo Público do Paraná, mas a Larissa tem o faro de jornalista, e foi a esse mesmo Arquivo Público e conseguiu encontrar o que eu não havia localizado. Mais do que isso, além do livro de entrada de imigrantes, ela conseguiu um livro de “empréstimo de ferramentas” para construção das casas, que também traz a relação dos imigrantes por lotes, e ainda obteve o livro de Lotes, onde estão registrados todos os terrenos das quatro colônias iniciais de São Mateus, com seus respectivos proprietários.

São documentos que cobrem o período de 1890-1892 e são valiosos para quem pesquisa a imigração. Ouso a afirmar que foi a maior descoberta recente da história de São Mateus. Agora podemos dizer com certeza que os primeiros espanhóis registrados chegaram em 29 de junho de 1890, vindos de Granada, Málaga, Cadiz e outros locais claramente detalhados no livro. O fluxo de espanhóis segue até metade de setembro, completando duzentas pessoas. Já os primeiros poloneses chegam na colônia em 19 de novembro de 1890. São famílias registradas como Maly, Turek, Rossik, Brockel, Riske, entre outras. Junto a eles chegam um grupo de alemães. Até o final de abril de 1892 são registrados 2.505 colonos de 792 famílias, muitas das quais ainda encontramos na cidade atualmente.

Já estamos trabalhando neste material que foi totalmente digitalizado e na próxima semana iremos disponibilizá-lo para a Casa da Memória. Com certeza servirá de fonte de pesquisa para muitas pessoas, seja para trabalhos escolares ou mesmo para reencontrar antepassados. Registro aqui o meu muito obrigado à Larissa pela descoberta, mas principalmente pelo compartilhamento deste tesouro. A história é como um quebra-cabeça, se não mostrarmos nossas peças uns para os outros, nunca chegaremos perto de entender qual a imagem real que será formada.

Até a próxima semana e céus limpos para todos nós!

Gerson Cesar Souza
Últimos posts por Gerson Cesar Souza (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
O valor de uma sogra…
O Xisto é Nosso, Presidente Castelo Branco!
Tesouros no Quintal