Foram 15 dias atuando na missão com o resgate de vítimas. (Foto: Thaís Siqueira/Gazeta Informativa)

O país ficou em choque com o desastre que aconteceu em Brumadinho – Minas Gerais, no dia 25 de janeiro. O rompimento da barragem da empresa Vale matou 216 pessoas e 88 ainda estão desaparecidas. Comovendo o Brasil todo e também os outros países, o resgate das vítimas contou com o apoio do Corpo de Bombeiros do Paraná, e nesta missão o são-mateuense Ben Hur Bedim de Oliveira, que atualmente mora em Curitiba, pôde colaborar com o seu trabalho de tripulante operacional do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA).

Ao todo foram 15 dias de missão em que o são-mateuense participou do resgate das vítimas desaparecidas, colaborando através do serviço aéreo de buscas e salvamento. Além desse tipo de ajuda, o Paraná também disponibilizou militares do Grupo de Operações de Socorro Tático (GOST), perícia criminal e os cães Brida e Thor, treinados para o trabalho de busca. Ao todo foram 82 missões de voo e quase 100 pessoas transportadas.

No momento que soube do desastre em Brumadinho, Ben estava atuando em uma operação no litoral, realizada pelo Corpo de Bombeiros em Paranaguá. Recebendo o convite para participar da missão de resgate às vítimas em Brumadinho através de uma ligação, o são-mateuense se voluntariou de imediato para colaborar com as buscas. “Todo Bombeiro tem o sentimento de querer ajudar o próximo, independente das circunstâncias”, expressa.

Visão do Bombeiro durante a missão. (Foto: Acervo Pessoal)

Acompanhando de perto as proporções do desastre em Brumadinho, foi o apoio de sua família que fez com que Ben encontrasse forças para ajudar as famílias dos desaparecidos. “Eu não imaginava a dimensão do estrago”, comenta.

Ben congrega na Igreja Assembleia de Deus, e também contou com o apoio dos amigos evangélicos que juntos estavam em oração durante a missão do são-mateuense. “Em Brumadinho, nós contamos com a ajuda de voluntários da Igreja Batista, que lavavam as nossas roupas sujas de lama”, informa. O Bombeiro comenta que muitos moradores também se voluntariavam durante o resgate, reforçando a união de todo o país que estava representado por Bombeiros de diversos estados. A solidariedade foi fundamental para garantir que o trabalho fosse realizado com êxito.

A condecoração

O governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Júnior, promoveu a entrega de uma medalha de Mérito Busca e Salvamento – GOST aos Bombeiros e profissionais que atuaram na operação durante uma cerimônia na manhã desta segunda-feira (1º), no Palácio Iguaçu.

A aeronave do BPMOA, em que Ben atuava, desempenhou um importante papel, principalmente no resgate de vítimas, mas também no transporte de tropa nos pontos mais críticos e de difícil acesso. A jornada de trabalho iniciava às 5h e chegava até às 20h.

O início profissional em São Mateus do Sul

Nascido e criado no município de São Mateus do Sul, Ben, que iniciou os estudos na Escola Municipal Doutor Paulo Fortes e depois no Colégio Estadual São Mateus, passou a infância na casa da família no Centro da cidade, próximo ao Corpo de Bombeiros. Sendo o irmão mais velho, ele confessa que o desejo de ser Bombeiro foi algo que se aproximou aos poucos de sua vida. “Eu nunca pensei em ser Bombeiro. Na época que conheci a profissão, eu trabalhava na área da Petrobras durante o dia e a noite fazia um curso técnico, pois como grande parte dos são-mateuenses, queria prestar um concurso para a SIX”, relembra.

No início de seu namoro com Regiane – sua atual esposa –, Ben começou a ter o seu primeiro contato com a área dos Bombeiros, pois o pai de Regiane atuava na profissão e faleceu honrando a farda. “Os amigos do meu sogro vieram para São Mateus para realizarem alguns trabalhos no Corpo de Bombeiros da cidade e acabaram indo visitar a minha sogra. Quando eles começaram a contar sobre a profissão eu senti que seria interessante ingressar na área”, conta.

Na época o concurso para o Corpo de Bombeiros estava aberto, e o são-mateuense fez a inscrição e passou na prova. “Quando você passa em um concurso como esse é preciso realizar o curso de formação, que pode ser de soldado – que foi o meu caso –, ou o de oficiais no Guatupê”, explica. Foram aproximadamente 9 meses de preparação.

A família de Ben foi fundamental para o desenvolvimento profissional do Bombeiro.

O Bombeiro possui as seguintes formações: 2005: Curso de Formação de Soldados Bombeiro Militar; 2006: Curso de Formação de Guarda Vidas; 2009: Curso de Formação de Cabos; 2011/2012: Curso de Formação de Sargentos; 2014: Curso de Operações de Busca e Salvamento; 2015: Curso Básico de Busca e Salvamento – SAR 005 (FAB); 2015: Curso de Tripulante Operacional (Alagoas); 2017: Curso de Segurança Contra Incêndios; 2018: Curso de Atendimento Pré-Hospitalar Tático (Tigre – Polícia Civil do Paraná); e 2018: Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos Bombeiro Militar. Ben também atuou como comandante do Corpo de Bombeiros de São Mateus do Sul por alguns meses. Desde 2015 o são-mateuense trabalha em Curitiba no Batalhão de operações aéreas, como tripulante operacional.

“Sou extremamente grato pelo aprendizado que adquiri com os Bombeiros de São Mateus do Sul, que foi fundamental para o meu desempenho profissional. Dedico minha condecoração com a missão em Brumadinho à cada um deles”, reconhece.

Estudante de Jornalismo que adora escrever e conhecer um pouco sobre a vida e a história de cada pessoa envolvida. Preza pela essência que é repassada na produção de cada matéria, valoriza os pequenos gestos e apoia o ativismo ambiental. E-mail para contato: claudia@gazetainformativa.com.br

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
O dom da cura por orações
A partir de 2019, São Mateus do Sul terá a Semana Municipal do Idoso
A história do Colégio Estadual do Campo Duque de Caxias que comemora 50 anos em 2018

Deixe seu comentário

*