Histórias de Terra e Céu

A História Viva de “São João Maria”

Há um ano atrás, dois membros do Instituto Histórico de SAMAS recebiam a missão de pesquisar personagens locais para nomear as primeiras cadeiras da entidade… Cabia a mim a missão de resgatar a vida do Perna-de-Pau. Já a professora Alcimara recebeu o desafio de abordar o místico Monge João Maria. Lembro que, na época, me perguntei: como ela conseguiria resgatar a obra de uma pessoa que viveu há mais de cem anos, e que não deixou escritos? Só depois fui entender que a história deste homem segue viva em São Mateus… Embarque comigo nesta história!

Gosto quando este espaço no jornal vira um “bate-papo”, quando uma coluna escrita aqui gera um retorno nas ruas e nas redes sociais. Isso aconteceu há algumas semanas quando fiz uma postagem sobre o Monge João Maria ter abençoado a família Portes. Muitas pessoas me procuraram comentando a matéria, mas principalmente contando outras histórias sobre o “Profeta”. É impressionante notar que um andarilho, que deve ter passado aqui pela cidade algumas dezenas de vezes, tenha deixado memórias tão vivas passando de geração para geração.

Uma destas memórias surgiu numa conversa com a professora Maria Regina Maciel, numa roda de mate. Segundo a professora, seu avô era tropeiro e levava gado do Rio Grande do Sul para São Paulo. Em determinados locais era preciso desviar a rota da tropa, pois os bugres atacavam e matavam os tropeiros. Num destes desvios, o velho tropeiro encontrou o Monge andarilho. João Maria tranquilizou os condutores da tropa: “- Podem ir pelo caminho dos índios que nada lhes acontecerá!”. Tamanha era a fé daqueles homens em São João Maria, que se arriscaram a atravessar o terreno indígena e, realmente, ao passarem pelo local, caiu uma chuva tão grande que os índios sumiram, deixando os tropeiros livres. O povo entendeu como mais um milagre do Santo.

Falando em milagres, outra história teria ocorrido com o mesmo tropeiro quando já morava aqui na Tesoura. Em outro dia de chuva forte, avistou o Monge passando na estrada. Pediu à esposa para que pegasse sua capa de chuva no armário, e deu ao Monge. João Maria foi embora, agradecido e protegido pela capa do velho tropeiro. Alguns dias depois, a esposa do tropeiro abriu novamente o armário para pegar uma roupa e levou um susto: a capa de chuva que dera ao Monge estava ali, pendurada no mesmo cabide de onde havia sido retirada. Ninguém entendia como a capa havia retornado ao local, se nunca havia sido devolvida… Mais um milagre para a conta de São João Maria.

Esse poder de surpreender talvez seja uma das grandes marcas do Profeta, capaz de gerar histórias que passaram de geração para geração. Certa vez eu estava lendo um livro sobre a Revolução Federalista e, logo após a Batalha de Passo Fundo, onde dezenas de são-mateuenses perderam a vida, quem apareceu no acampamento para abençoar os feridos? Sim, ele, João Maria! Um cara que conseguia ser visto em vários locais do país, realizar curas e fazer profecias, escrevendo sua história no livro vivo do coração de cada pessoa que teve a oportunidade de conhecê-lo.

Até a próxima semana e céus limpos para todos nós!

Gerson Cesar Souza
Últimos posts por Gerson Cesar Souza (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Novos Horizontes buzinando na zona de rebaixamento
A Estrela de Belém
Pare o que estiver fazendo no dia 27 e olhe para o céu!