Reflexão com Padre Marcelo S. de Lara

A Igreja de Cristo continuada pelos Apóstolos

No artigo anterior, do dia 11 de agosto, trazíamos uma reflexão sobre a origem da Igreja de Cristo e sua identidade. Essa Igreja continua viva ainda hoje graças ao mandato de Cristo e o testemunho dos cristãos.

À mandato do Senhor Jesus e movidos pelo impulso do Espírito Santo, a própria estrutura hierárquica da Igreja se torna um dom, assim com o sacerdócio dos leigos pelos Sacramentos do Batismo e da Crisma. Em obediência à ordem do Seu Fundador, os Apóstolos pregaram o Evangelho e geraram Igrejas passando para seus sucessores o dever de tornar perpétua esta Obra que é de Cristo.

Como expressão do Reino de Deus, a Igreja hoje, desde o Sacerdócio Comum dos Leigos ao Sacerdócio Ministerial, movidos pelo Espírito Santo, é enviada à todos sem distinção, para ser Sacramento Universal da Salvação. Como é expresso no § 2/1335 do Documento Conciliar Apostolicam Actuositatem: Sobre o Apostolado dos Leigos, “Existe na Igreja diversidade de serviços, mas unidade de missão”. Em sua essência, não há batizado e crismado que não deva de per si ser missionário, pois na ordem hierárquica temos primeiro o laicato. O próprio Jesus veio em primeiro lugar para o povo. Não veio primeiro para só depois pensar em formar um povo. Assim, esse processo de Tradição que teve início com a pregação dos Apóstolos formando as primeiras comunidades cristãs, passou e passa pelos séculos de pais para filhos.

No capítulo primeiro da Evangelii Gaudium, Exortação do Papa sobre a Alegria do Evangelho, o papa Francisco relembra o mandado de Jesus quando envia seus discípulos a levarem a Boa Nova do Evangelho a todos os povos em todo tempo e lugar. Transmitido aos seus discípulos a Alegria da Ressurreição, Jesus os convoca a irem de dois em dois levando a outros a mesma Alegria que eles próprios experimentaram. “Ide, pois, fazei discípulos de todos os povos, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a cumprir tudo quanto vos tenho mandado”. (Mt 28, 19-20).

Vindo nos séculos seguindo sua Tradição, contudo, com métodos e pedagogias diferentes, se configurando às exigências de cada época e de cada cultura, eis que a Igreja continua nos tempos de hoje. É a mesma Igreja, na sua mesma identidade e com seu mesmo objetivo, porém, que deve se adaptar aos novos tempos no seu processo de evangelização.

Guiada pelo Espírito Santo e conduzida pelo seu atual pastor, papa Francisco, eis que este homem, representando a figura de Pedro, nos inspira em sua visão a um novo modo de ser Igreja, a um novo modo da Igreja ser, agora no mundo contemporâneo.

Com base nas reflexões do Papa Francisco, colocadas em sua Exortação Apostólica, Evangelii Gaudium, no próximo artigo trataremos da missão da Igreja de Cristo nestes novos tempos em que vivemos.

Últimos posts por Pe. Marcelo S. de Lara (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Espiritualidade nas empresas
Sínodo da Família: Ouvindo a Voz de Deus
A Identidade da Igreja