Reflexão com Padre Marcelo S. de Lara

A Igreja: Muito mais que uma estrutura

Quando se olha para algumas instituições da sociedade, por falta de um conhecimento mais amplo, mais profundo, tem-se a tendência de pensar que elas estão mais como estruturas de poder, de disputa por uma hegemonia, controladora das pessoas por suas normas e suas burocracias, do que promotoras da vida humana.

As instituições, com suas estruturas, são necessárias para o desenvolvimento de um trabalho mais planejado, focado, organizado. Mesmo uma família, de certo modo ela é uma instituição com normas, com planejamento. Ainda que simples, tem uma organização para o bom andamento da casa, dos projetos familiares e de cada membro da família. Assim, em âmbitos maiores: a Escola, a Indústria, o Estado e também a Igreja.

Claro que, por um processo histórico, por uma rejeição de opinião, por erros cometidos, há de se criar uma certa rejeição para com certas instituições. Contudo, por traz de todas as normas e burocracias, elas estão, e devem estar para favorecerem a sociedade, às pessoas, mais especificamente. Organizadas pelas pessoas, as instituições carregam o objetivo de ajudar na facilidade e na satisfação das necessidades de cada indivíduo.

A Igreja, além de ser uma instituição humana, ou seja, formada, confiada à pessoas humanas, é uma instituição também divina, ou seja, o desejo, a realização dela aconteceu por mandado divino, quando o próprio Jesus confia a Pedro a sua concretização e continuação em Mt 16,18. “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja”.

Evidente que a Igreja de Cristo por ser instalada na terra, por estar em meio à humanidade ela foi criando estruturas, foi se organizando com influência de culturas, seja na parte administrativa como no trabalho pastoral, nas formas de celebrar. Mas, essa Instituição tem em toda sua estrutura a preocupação de levar a vida, a realização plena do ser humano desejada e trazida por Jesus. O objetivo da Instituição Igreja, é ser canal de transmissão da vida do Cristo às pessoas, é servir a sociedade como Jesus serviu, pois veio para servir e não ser servido.

O conflito entre as instituições, ou a rejeição das pessoas, talvez seja causado por verem simplesmente na Igreja uma instituição humana, encarando-a como uma estrutura que dita normas e orientações, e que todos são obrigados a seguir.

A finalidade da Igreja de Cristo presente na Igreja como instituição humana é, por meio de suas normatizações e até da burocracia existente, colocar o ser humano em um caminho de vida, um caminho de felicidade, de salvação, de encontro com Deus. Essa vida trazida por Jesus é para toda a humanidade, é para a realização do ser humano indistintamente, não é apenas uma caminho religioso. Se dá por um caminho religioso, mas, é um caminho de realização da pessoa humana.

É de se observar que, sendo um caminho proposto por Deus aos seus filhos, pelo Criador à sua criatura, como foi confiada ao ser humano por Jesus, é sujeita de falhas, de erros, de más interpretações. Contudo, ainda que confiada a pessoas limitadas, não deixa de ter sua credibilidade, pois, o projeto é Divino e não humano.

A carência desse entendimento, o olhar voltado apenas para as imperfeições cometidas por Ela, que infelizmente não mostram o seu “rosto divino” levam então à rejeição por quem a vê “de fora” e até mesmo em alguns momentos, por quem nela está “dentro”.

Mais que uma estrutura, mais que uma instituição jurídica, a Igreja de Cristo é o projeto de salvação, de felicidade ao ser humano como foi dito. A Igreja como canal da graça, da realização desse projeto deve ser cada indivíduo, independente da crença que se professe. Não se está falando aqui de religião, mas, do projeto de felicidade proposto por Deus. A Igreja de Cristo, o Seu Reino, se concretiza em cada pessoa que, por atitudes, gestos, pensamentos, pela própria vida gera vida, humaniza a sociedade, faz o humano resplandecer no mundo, o Divino.

Sendo um Projeto Divino para o ser humano, a Igreja de Cristo pode acontecer em cada e qualquer pessoa, em qualquer lugar, desde que se esteja em sintonia com o projeto de vida realizado pelo Criador, pois, o Espírito de Deus sopra onde quer.

Últimos posts por Pe. Marcelo S. de Lara (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Talvez mais escravos do que livres
Encantar pelo Evangelho, Eis nossa Missão
Na religião, uma resposta que se busca