(Imagem Ilustrativa)

Cada espírita tem uma definição própria para o espiritismo, mas a melhor que eu vi até hoje é essa de André Trigueiro, que vale a pena ser compartilhada.

Os espiritas dizem que a doutrina espírita é a terceira revelação depois de Moisés e Jesus, é o consolador prometido pelo Cristo, é o cristianismo redivivo.

Me parece que o espiritismo é um meio para se alcançar um objetivo comum a todas as filosofias e religiões que entendem a vida como algo sagrado, distinta e importante.

É uma ferramenta preciosa de reforma íntima, no pressuposto de que somos imperfeitos e as imperfeiçoes nos causam dor e sofrimentos, o espiritismo aponta caminhos, que para serem trilhados vão demandar a sublimação de nossas poucas virtudes e a superação de nossos muitos defeitos.

O espiritismo não se considera, e isso é muito bonito, o único caminho que leva a salvação, e nem se considera superior a qualquer outro caminho que promova o mesmo efeito.

Portanto o importante não é ser espirita, o importante é alcançar o objetivo. Para alguns, e eu me incluo nesse grupo, o espiritismo é uma ferramenta preciosíssima para se alcançar esse objetivo, porque é o que se diz da fé raciocinada.

Os espiritas também acreditam que somos os trabalhadores da ultima hora, nós já tivemos contatos com as verdades espirituais em outras vidas, e dessa vez fomos fisgados pela razão, a fé raciocinada objetiva, no estilo positivista, do que faz sentido a razão.

Então, somos os trabalhadores da ultima hora porque é o último vagão do trem. E é uma doutrina consoladora posto que: Afirma a existência de Deus, e isso é muito importante. Afirma a inexistência da morte, e isso é muito importante. Permite a comunicação com os desencarnados e isso é muito importante.

Porque, a bem dizer, não é o fenômeno que importa, eu não me aproximei da doutrina pelo fenômeno, eu com quase trinta anos de doutrina apenas há dois anos atrás vi uma sessão de materialização, e porque fui convidado.

Então não somos proselitistas, não queremos converter ninguém, não temos a pretensão de fazer que as pessoas que não são espiritas, passem a ser, apenas achamos importante para quem esteja aberto, sensível à alguma explicação que faça sentido, para que o universo, a vida, o ser humano, Deus, sejam peças que se encaixem melhor no tabuleiro.

A gente não vai se negar à falar ou apresentar a doutrina. Mas nós não queremos invadir o espaço aéreo de quem já tem a sua convicção, isso é muito bonito.

Então, em resumo, o espiritismo para mim é uma ferramenta fantástica de mudança para melhor, e se eu não melhoro, a culpa não é da doutrina, a culpa é minha.

(André Trigueiro é escritor espirita e jornalista da Globo News)

Fraternidade Espírita José Matias Ferreira, na Vargem Grande. Reuniões públicas toda segunda-feira, às 20h. São todos bem-vindos.

Oscar Okonoski
Últimos posts por Oscar Okonoski (exibir todos)

Comentários

MATÉRIAS RELACIONADAS
À beira do desânimo
500 mil
Carta às mães que perderam seus filhos