Reflexão com Padre Marcelo S. de Lara

A Oração: Um exercício da Quaresma

(Foto: Divulgação)

(Foto: Divulgação)

Refletíamos em um dos artigos anteriores que, o maior desejo de Deus é que o ser humano seja feliz, viva bem. Essa felicidade está justamente no encontro, na identificação da criatura com o Seu Criador, refletir e ser na vida a imagem do seu próprio Criador.

Um dos caminhos para se chegar a essa felicidade é pelos exercícios da quaresma propostos pela Igreja. O jejum e a esmola são exercícios que ajudam o ser humano a compreende que ele não deve fechar-se em si mesmo, se tornando escravo de seus desejos e suas vontades, seus pertences mas, deve ser alguém aberto para o outro, livre, desprendido das coisas que possui, sejam materiais, do conhecimento ou nas capacidades; a liberdade gera a felicidade.

Além desses dois exercícios, o tempo da quaresma propõe a intensificação da oração. A oração é elevar o espírito até o autor da vida, é dialogar com Aquele que te criou, que te conhece mais que você a você mesmo. Mais que apenas repetir palavras, orações formuladas, a oração é estar, é entrar na intimidade com o Senhor.

As orações formuladas que todos conhecemos, nossas orações diárias são sim importantes, e devem ser bem rezadas, elas nos fazem expressar aquilo em que acreditamos: Uma Ave-Maria, um Pai-Nosso, um Santo Anjo, ou quem professa outra crença que tem suas orações costumeiras. Porém, mais que apenas ser um repetir de palavras todas elas devem auxiliar a elevarmos o espírito até Deus, com a intenção de colocar nossa vida, nossa existência diante Daquele que tudo vê e tudo sabe.

Jesus ao ensinar aos discípulos a Oração do Pai-Nosso, quis dizer que, nossa aproximação com Deus não se mede pela quantidade de palavras ou de orações que faço, mas sim, pela qualidade da oração, ou seja, pela maneira com que eu me coloco diante de Deus, onde o importante é sempre Ele, sempre a vontade Dele e não a minha. Na oração não sou eu o foco principal, mas é Deus, é Ele quem deve falar.

O Pai-Nosso é modelo de oração, porque nele sempre se pede que a vontade ou aquilo que é de Deus aconteça, além de pedirmos o que é apenas essencial para a vida humana. Como Deus sabe tudo o que precisamos, se nos colocarmos diante Dele na disposição de fazermos sempre a Sua vontade e pedirmos aquilo que Ele sabe que necessitamos, certamente mais livres e felizes viveremos.

Muito daquilo que temos e desejamos não precisamos para ser feliz. Perceba, a oração é então um caminho proposto pela Igreja, intensificado no tempo de quaresma, para que o ser humano encontre sua realização, sua felicidade. Na verdadeira oração se tem a oportunidade, diante de Deus, de nos defrontarmos conosco mesmo, e vermos o quão próximo ou, o quão distantes estamos de seu projeto de felicidade realizado para a humanidade.

Últimos posts por Pe. Marcelo S. de Lara (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Somos Latino-Americanos?!
Redes Sociais, sob nosso controle
Crescer também em consciência