Máquina do Tempo

A participação de São Mateus do Sul na Guerra do Contestado – Parte I

(Imagem ilustrativa sobre principais ícones da Guerra do Contestado)

No ano de 2016, foi centenário de um dos conflitos armados mais marcantes na história paranaense e na história regional, especialmente para nós, são-mateuenses, pela proximidade geográfica – A Guerra do Contestado. Nesse mesmo ano, tive a oportunidade de participar do XV Encontro Regional de História da ANPUH (Associação Nacional de História), que abordou o tema com debates sobre a historiografia, acervo e fontes da guerra. Recentemente, fui contatada pelo bisneto de um são-mateuense que lutou no Contestado, e aí amigos leitores, vocês já imaginam minha vontade de viajar no tempo e trazer para vocês essa história, não é mesmo? Pois bem, nessa primeira parte, (para os mais jovens principalmente), vou iniciar nossa viagem contando o que foi a Guerra do Contestado.

A Guerra do Contestado foi um conflito armado que aconteceu pela disputa territorial nas fronteiras dos Estados de Santa Catarina e Paraná de 1912 a 1916. Os motivos, foram diversos. Desde os interesses por parte dos dois Estados nessas regiões ricas em erva-mate e madeira, passando pela luta camponesa contra os grandes proprietários de terra, até o aspecto religioso, incorporada na figura do famoso Monge João Maria que integrou o caráter messiânico à guerra. Mas por que, Contestado? Justamente porque nas terras onde ocorreram essas disputas, o nome “contestado”, ficou conhecido quando camponeses começaram a contestar a doação de terras que o governo brasileiro fez a madeireiros e empresas multinacionais estrangeiras, o que os obrigou a sair dali. Ou seja, um barril de pólvora!

Mas hoje vou ficando por aqui, fazendo um adendo muito importante. Quando se trata da história regional, de nosso município ou região, nós historiadores, contamos com uma fonte primordial, a história oral, ou seja, o relato da história. Portanto, além de contar para vocês na semana que vem, a continuação da história da guerra, também trarei o relato do são-mateuense que lutou no Contestado. Aproveitando essa deixa, eu quero fazer um chamado a toda comunidade são-mateuense. Se você conhece alguém, natural de São Mateus ou residente em, que também tenha participado da Guerra do Contestado, de alguma forma, ou já ouviu alguma história sobre, entre em contato conosco da equipe do Jornal Gazeta Informativa, pois eu quero muito escrever essa história! Então, como sempre, até a próxima viagem pessoal!

Jéssica Kotrik Reis Franco
Últimos posts por Jéssica Kotrik Reis Franco (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
A tatuagem na História
Os são-mateuenses que lutaram contra os nazistas. São Mateus do Sul e a Segunda Guerra Mundial – Parte II
Quando a História vira cinzas