Após algumas semanas falando em história, voltamos nossa lente para a poesia no bate-papo de hoje. Tenho pescado obras de jovens poetas de São Mateus do Sul e publicado neste espaço. Hoje chegou a hora de falarmos de Taíme Oroski… Embarque comigo nessa viagem poética!

Quem lê meus versos sabe que sou um apaixonado pelas rimas e pelas métricas. Mas não posso deixar de reconhecer a beleza de uma poesia livre bem escrita, aquele poema que escapa da prisão das rimas, que foge da forma definida. Eu assumo que não consigo escrever estes poemas. Sou um prisioneiro confesso das rimas… Mas quando esbarro com a qualidade de uma jovem poetisa, como Taíme Oroski, que brinca com as palavras e com as formas, tenho que render minha admiração.

No poema abaixo, intitulado “Shh”, Taíme explora exatamente essa liberdade, diz que poeta e poesia se confundem no poema “sem verso” e “sem rima”, e depois, conclui o poema inserindo rimas e questionando se todos temos um pouco de poeta e louco.

Poema sem título
E sem ponto
E sem verso
Sem rima
Poesia limpa
da alma em grito
Poesia e poeta
confundidos
na placa da esquina
da rua do calar-se
Poesia rimada
Rima falada
Poeta
Louco
Todo mundo tem um pouco?

Taíme foi recentemente selecionada para uma antologia poética que será lançada pela Editora Becalete. A divulgação da editora, ao anunciar seu nome, dizia: “Gente nova e talentosa no pedaço”. Reconhecimento totalmente merecido. Meu único questionamento é que ela foi citada como uma autora de “Curitiba”. Nada disso! Ela pode até estar em Curitiba, mas para nós ela sempre será a Taíme de SAMAS!

Até a próxima semana e céus limpos para todos nós!

Gerson Cesar Souza
Últimos posts por Gerson Cesar Souza (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Moysés e Chiquinha: Versos de Amor Eterno
O fotógrafo fotografado…
O rosto da nossa Avenida