Histórias de Terra e Céu

A Tela de Rodolfo Wolff

Uma tela gigante armazenada na Casa da Memória guardava um mistério: quem seria seu autor e quando ela teria sido pintada? A informação que passou através dos tempos é que ela seria obra de Rodolfo Wolff, considerado o fundador da cidade. Mas seria possível comprovar isso? Embarque comigo nesta história!

A professora Hilda, responsável pela Casa da Memória, me recebeu na semana passada, sempre atenciosa, e me mostrou a grande tela. Foi pintada em um tecido resistente e é possível ver nela a cidade de São Mateus do Sul do início do século passado. No canto direito destaca-se a igreja matriz, de madeira, à beira da rua de chão batido, que na época chamava-se rua Primeiro de Maio, que acabava na atual rua 21 de setembro (que já tinha esse nome). Mais para o centro da tela encontra-se a grande rua da cidade (que se chamava rua do Porto e corresponde à atual Barão do Rio Branco), rua esta que leva ao rio e onde aglomeram-se boa parte das casas. Essa é a região da tela que parece mais desgastada.

A cor verde toma conta de boa parte da pintura, mostrando que a cidade tinha vegetação abundante e, ao fundo, altos pinheirais delimitam as fronteiras da pequena São Mateus. Segundo relatos, a tela ficava no antigo cinema da cidade (atual restaurante Coliseum) e teria sido pintada por Rodolfo Wolff, mas a pintura não está assinada e não havia qualquer confirmação histórica da autoria ou da data da obra. E quanto à data, este era outro problema: o cinema havia sido inaugurado em 27 de abril de 1913 e Wolff faleceu em 30 de julho de 1917, com 81 anos, então a tela teria que ter sido pintada entre 1913 e 1917, e o pintor estaria beirando os 80 anos, o que parecia improvável…

Mas a história, às vezes, não liga para as probabilidades. Revirando documentos e jornais antigos, buscando algo que comprovasse ou rejeitasse essa hipótese, encontrei o relato abaixo do correspondente de São Mateus no jornal curitibano “A República”, de 24 de abril de 1916 (mantive a grafia original):

“BRAZIL CINEMA – Continua funccionando, exhibindo excellentes films, procedentes do Mignon Theatre. A Empreza attendendo as constantes visitas de artistas, que ultimamente tem aportado a esta cidade, mandou construir um elegante palco, dotado de camarins, o qual já se acha concluido, tendo o habil pintor Rudolpho Wolff, confeccionado o panno de bocca, em o qual aparece a cidade de São Matheus. É um trabalho artístico, feito a capricho, que muito recommenda o seu autor”.

Era a confirmação que faltava. A tela realmente foi pintada por Wolff, então com 80 anos! O mesmo jornal noticiaria, um ano depois, a morte de Wolff falando que a cidade montou um grande acampamento para o seu velório, pois todos os habitantes queriam se despedir do “patriarca de São Mateus”.
No livro dos Cem Anos de São Mateus, minha amiga Audrey cita outro episódio coletado da memória popular: as pessoas iam ao cinema para assistir Wolff pintando a tela, e davam opiniões para melhorar o desenho. Quando o gozador Agenor Nascimento fez uma piada dizendo que o Iguaçu parecia uma lagoa, Wolff teria respondido: “todo canalha também pode dar palpite”. Fico na torcida para que a tela, agora com a comprovação de que tem 101 anos e foi pintada pelo fundador da cidade, seja devidamente restaurada e exposta ao público.

Até a próxima semana e céus limpos para todos nós!

Gerson Cesar Souza
Últimos posts por Gerson Cesar Souza (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
O Universo na sua estante (ou na sua tela)!
As mentes que imaginaram nosso principal símbolo
Até que a morte os una