(Imagem Ilustrativa)

Acredito que tudo aquilo que aprendemos através das oportunidades que a vida nos dá, precisa, deve ser compartilhado. Adquirimos conhecimento não para mostrar o quanto somos brilhantes, inteligentes e sim para aplica-los em nosso dia-a-dia, contribuindo para a construção de alguma coisa que torne este mundo melhor. Se todos pudermos crescer, melhor para a sociedade.

Muitas vezes, mesmo quando decidimos compartilhar, nos perguntamos: por que determinada pessoa não entende que uma de nossas propostas é interessante, importante para ela?

Vejam que todos passamos por experiências, todos somos inteligentes e, com base nessas experiências passadas construímos nossa forma de enxergar o mundo, definimos nossas crenças. Quando ouvimos algo, de imediato comparamos com os nossos parâmetros internos e tendemos, mesmo que de forma inconsciente, a aceitar ou rejeitar aquilo que nos é apresentado, se não coincide com nossos paradigmas.

Assim, para quebrar barreiras, é importante que você conheça a pessoa ou o grupo de pessoas com o qual vai interagir. Conhecer as histórias de vida delas, a cultura organizacional da empresa em que trabalham, a características da sociedade em que estão inseridas, por exemplo.

A aceitação ou não de nossas propostas, de nossas orientações, também depende da credibilidade de nossas palavras e ações. Nossa reputação é construída, com esforço, com cuidado, mas pode ser destruída num simples deslize. Se possuímos algum dom para o teatro, durante algum tempo podemos fazer com que acreditem em nossas propostas, mas isto não durará para sempre, pois fundamental é a verdade de cada um.

Outro ponto: para influenciar, ajudar a outra pessoa, precisamos demonstrar que nos importamos verdadeiramente com ela e evidenciar os ganhos de uma mudança de comportamento ou de atitude por parte dela.

Theodore Roosevelt, presidente norte-americano no início do século XX, afirmava: “Ninguém se importa com o quanto você sabe, até que saibam o quanto você se importa”. E, se você se importa é porque realmente acredita no que faz, no que diz.

Lembre-se que uma frase pode transformar uma vida, para o bem ou para o mal. Então, a forma como você se expressa é fundamental. Vejam que não estou falando de frases bonitas ou construídas com palavras que necessitem de apoio de um dicionário para interpretação. Falo de frases verdadeiras, diretas, que expressem o que você realmente pensa, o que realmente é. Quando essas frases fluem naturalmente, seu poder de persuasão é ainda maior.

Muitas vezes pessoas com um pouco mais de experiência de vida recebem retornos inesperados. Por exemplo, alguém lhe aborda e lhe diz que em determinado momento ouviu algo que você disse e aquilo modificou a vida dela, ou a despertou para algo novo. Aí você se pergunta: fui em mesmo quem disse isso? A sua verdade surge, mesmo que de forma inconsciente.

Quando o coletivo é mais importante para você, é mais provável que isto aconteça com mais frequência. Quando você se coloca no lugar dos outros antes de se manifestar, também.

Adnelson Borges de Campos
Últimos posts por Adnelson Borges de Campos (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
O cérebro também atrofia
A primeira resposta quase nunca é a melhor resposta
Quem você segue?