Meio Ambiente

Acadêmicos são-mateuenses de Engenharia Ambiental participam da 7ª edição do Rio Limpo em União da Vitória

O projeto organizado pelos acadêmicos e corpo docente da Uniuv retirou mais de 1,9 toneladas de resíduos do Rio Iguaçu em União da Vitória. (Foto: Uniuv)

“O Rio Limpo é uma atividade que mostra visivelmente o resultado de sua mobilização”, enfatiza Fernando Gohl, professor dos cursos de comunicação do Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv). Ele comenta que o evento está sendo planejado e divulgado há mais de 2 meses, o que garante a participação dos alunos e de toda a comunidade.

Acontecendo no sábado (5), o Rio Limpo proporcionou para os diversos grupos de participantes a consciência sobre a importância da mobilização pelas causas ambientais. Tendo como sede o Clube Náutico Hobi, em União da Vitória, o evento é encabeçado pelo curso de Engenharia Ambiental da Uniuv, mas conta com a participação assídua de todos os cursos da faculdade.

Bruno Henrique é são-mateuense, acadêmico do curso de Engenharia Ambiental e também esteve presente na colaboração do evento. De acordo com ele, o projeto possui grande importância para toda comunidade que é banhada pelo Rio Iguaçu. “Penso que nem toda a sociedade tem acesso as informações pertinentes sobre o Rio. Com o projeto elevamos o Iguaçu ao foco principal chamando a atenção da comunidade para participar e ter uma certa preocupação com o corpo hídrico”, afirma.

Diversas oficinas foram elaboradas no decorrer do dia, dentre espaços com música, contações de histórias, feira de adoção e atividades lúdicas para o público infantil. O ápice do evento é a limpeza do Rio Iguaçu, e na ocasião foram retirados mais de 1,9 toneladas de resíduos jogados indevidamente no recurso ambiental. “Minha experiência foi recompensadora. Estava fotografando o Rio Limpo, e pude flagrar muitos materiais que foram retirados. Fiquei feliz por fazer parte dos registros desse momento”, afirma Willian Novawski, acadêmico do curso de Publicidade e Propaganda.

Dentre as atividades ligadas ao meio ambiente, a movimentação e descontração também chamaram a atenção do público. Estes momentos foram bastante destacados por Luis Gustavo Ramthun, que estava prestigiando o evento, e ficou satisfeito com os shows que embalaram a trilha sonora durante o Rio Limpo. “O local é bastante agradável e isso ajuda no interesse para a participação”, afirma.

A interação com o público e o destaque sobre as atividades ligadas com a sustentabilidade ambiental são planejadas com muito cuidado nesses setes anos de Rio Limpo. A são-mateuense Carolina Bianek está cursando o último ano de Engenharia Ambiental, e reforça que o evento é realizado de forma voluntária. “Nele promovemos a conscientização ambiental na região e a importância da preservação do Rio Iguaçu”, diz.

Carolina também fomenta a ideia de realizar esse tipo de atividade no Rio Iguaçu na região de São Mateus do Sul, preservando o recurso hídrico e envolvendo a comunidade do município para a preservação do Rio.

Estudante de Jornalismo que adora escrever e conhecer um pouco sobre a vida e a história de cada pessoa envolvida. Preza pela essência que é repassada na produção de cada matéria, valoriza os pequenos gestos e apoia o ativismo ambiental. E-mail para contato: claudia@gazetainformativa.com.br

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
MPPR realiza ação para proteção do Faxinal do Emboque
Empresas que produzem muito lixo terão que garantir destinação correta para obtenção de alvará em São Mateus do Sul
Restos de folhas dão vida às árvores e flores em São Mateus do Sul

Os comentários estão fechados