Administração e Negócios

Administração Financeira

Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

Trabalhar com dinheiro é sempre um desafio para muitas pessoas e empresas, principalmente quando este recurso é limitado e nossas necessidades são totalmente ilimitadas. Mas uma boa gestão financeira pode ser a solução para o problema. Então, convido você, amigo leitor, para conhecer um pouco mais sobre essa belíssima área da Administração.

Nas empresas a administração financeira é tratada como a área ou setor responsável por gerir todos os recursos financeiros cabíveis, compreendendo análise, planejamento, medidas de controle e tomada de decisão. Uma responsabilidade e tanto, pois como toda empresa possui seu investimento, cabe a essa área a desafiadora tarefa de proporcionar o maior rendimento ou retorno possível ao capital investido.

Muitas pessoas acabam confundindo a administração financeira com a contabilidade. Embora elas se complementem e tenham constante comunicação, cada uma tem suas funções bem definidas, e podemos perceber pela ênfase em que elas trabalham.

A contabilidade trabalha baseada no regime de competência, mês a mês. Assim, nas demonstrações contábeis as receitas e despesas são contabilizadas quando ocorre o fato gerador, mesmo que elas ainda não tenham sido recebidas ou pagas pela empresa.

Por outro lado, a administração financeira leva em consideração a ênfase no regime de caixa, pois considera apenas as entradas e saídas efetivas do caixa da empresa.

Talvez você tenha ficado confuso, então vamos exemplificar para esclarecer essa diferença: Imagine que em um único mês de atividade uma empresa vendeu R$ 10.000,00 porém, recebeu apenas R$ 6.000,00.

Contabilmente será respeitado o regime de competência, portando os lançamentos das receitas do mês serão de R$ 10.000,00.

Financeiramente, pelo regime de caixa, a empresa tem disponível apenas R$ 6.000,00 e os R$ 4.000,00 restantes serão tratados como Contas a Receber, uma vez que a empresa ainda não tem a sua disposição esse recurso.

A mesma regra se aplica as despesas, onde aquelas que não forem pagas na mesma competência de sua geração, serão financeiramente tratadas como Contas a Pagar.

Da ênfase financeira surge o controle de Fluxo de Caixa, que relaciona o valor disponível que a empresa iniciou as atividades do dia, quanto a empresa efetivamente recebeu de suas operações, quanto a empresa efetivamente pagou de suas obrigações, e por fim, determina o valor em que a empresa encerrou as atividades do dia. O valor do caixa final de um dia, será usado como caixa inicial do dia seguinte.

Embora os valores de contas a pagar e contas a receber apareçam contabilmente no balanço patrimonial da empresa, o ciclo diário do fluxo de caixa permite um monitoramento em tempo real das finanças, sendo possível saber a disponibilidade financeira da empresa a qualquer momento.

E isso é muito importante, uma vez que a administração financeira é responsável por todas as atividades e decisões de investimentos e financiamentos, dependendo da necessidade de cada empresa.

Antes da tomada de decisão o administrador financeiro realiza análises dos seus indicadores reais e também dos relatórios contábeis, como balanço patrimonial e demonstrativo de resultado, e se necessário, elabora informações adicionais de modo a avaliar a viabilidade, riscos e retornos da operação.

Ainda no processo de tomada de decisão, é considerado os fatores externos, como situação econômica, tendência de mercado, legislações e normas do sistema financeiro nacional. Tudo é analisado cuidadosamente de modo a tomar a melhor decisão para a empresa.

No gerenciamento de Contas a Receber, basicamente a gestão financeira é responsável por determinar e controlar as modalidades de recebimento ou crediário, prazos para recebimentos, gerenciamento do caixa, controle das contas ainda não recebidas, cobranças, aprovação de cadastros e levantamento de indicadores.

No gerenciamento de Contas a Pagar, cabe a negociação de prazo de pagamento junto aos fornecedores, classificação, programação e pagamentos das obrigações geradas e também o levantamento de indicadores que auxiliem nas decisões.

Este gerenciamento, ao longo do tempo fornece um histórico de informações, onde é possível compara-lo com a tendência de mercado, e então projetar um fluxo de caixa futuro, e assim ter informações previas para antecipar algumas decisões.

A gestão financeira também é capaz de fazer outras análises bem específicas conhecidas como análise horizontal e vertical, bem como apurar índices de rentabilidade, liquidez e endividamento. Tudo isso de modo a tornar os negócios o mais transparente possível, atraindo investidores e criando oportunidades. Isso sem contar que todas essas ferramentas funcionam como um termômetro, onde por meio dele é possível monitorar e prever a saúde financeira dos negócios.

Em nossa vida pessoal os acontecimentos são bem semelhantes, pois recebemos nossa renda e efetuamos nossos pagamentos. Se isso não for bem administrado vamos acabar gastando mais do que ganhamos, certamente teremos prejuízos, e como consequência entraremos no limite bancário ou no rotativo do cartão de crédito, que por mais acessíveis que sejam, são as modalidades que carregam as maiores taxas de juros praticadas no mercado. Portanto, vale a pena conhecer e aplicar essa disciplina, não só na rotina empresarial, mais também em nosso gerenciamento financeiro pessoal ou familiar.

Nos encontramos na próxima edição! Bons Negócios.

Últimos posts por Eleandro Soares (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Erros fatais que destroem qualquer empreendimento | Parte 01
O minério de ferro e a informação
Liderança: Poder ou Autoridade?