Jurandir Ferreira Alves, comerciante (à esquerda) como pré-candidato a vice-prefeito e Alan Jaros (à direita) empresário
do ramo de transportes. (Fotos: Acervo Pessoal)

Alan Jaros do PSD é empresário do ramo de transportes. Compõe chapa pura na majoritária, tendo o vereador Jurandir Ferreira Alves, comerciante, como pré-candidato a vice-prefeito pelo mesmo partido. Faz coligação com o PSL, na majoritária, e têm 18 pré-candidatos para vereador. Renovar, reduzir gastos, promover emprego e melhorar a infraestrutura rural são focos da pré-candidatura.

“Conheço o município e agora estou preparado para este desafio. Ser prefeito da nossa cidade não requer apenas ter um bom nome, mas sim ser qualificado. Temos um grupo sólido, em que todos têm voz ativa e por um consenso o grupo me escolheu! Acredito que posso contribuir para que o nosso município continue crescendo cada vez mais”, frisa o pré-candidato sobre sua vinda para a disputa.

Até por estar na oposição, ele entende que o município precisa de renovação, destacando que concorre com um adversário que “é o braço direito do prefeito na Câmara, não acredito que vai mudar alguma coisa caso o grupo deles continue”. Contudo, salienta que não é isso que justifica a pré-candidatura e sim porque “a cidade precisa crescer, precisamos trazer algo inovador para Antônio Olinto”.

Desenvolvimento e desafios

Jovens saem em busca de emprego em outras cidades. Nisso, a entrada na disputa que tem o foco de buscar melhorias e desenvolvimento “para termos um futuro digno a todos”, de acordo com Alan. “Sem dúvida o maior desafio para um prefeito do interior é a geração de empregos! Hoje no nosso município podemos contar quantas empresas com mais de 15 empregados estão instaladas e isso precisa mudar!”, reforça.

“Precisamos correr atrás de iniciativas que atraem grandes investidores. Uma das minhas propostas sugeridas no plano de governo é a criação de um Parque Industrial”, cita. Sustentado em incentivos para empresas. Alan Jaros menciona ter participado do 1º mandato do atual prefeito e atualmente se opõe. “Mas também não posso ser hipócrita e dizer que ele fez uma má gestão, acredito que poderia ter feito mais”, observa.

“Uma coisa que pode ser feita diferente de imediato é a valorização dos nossos funcionários”, analisa. Apesar de ter plano de carreira não foi colocado em prática, segundo ele. Nisso, o pré-candidato propõe que isso seja implantado. Tudo dentro de um ajuste e respeitando a Lei que já existe. Com entendimento e esforço da prefeitura e da parte dos servidores.

Diferenciais e proposições

Alan Jaros analisa que não há problemas em realizar obras no último ano da gestão, desde que tenha sido feito nos anteriores. Especialmente quando de recursos próprios, o que segundo ele, poderia ser concretizado o serviço em outro momento. Contudo, quando as verbas são de emendas ou demais liberações acabam não dependendo muito da vontade do gestor.

“Todos já me conhecem, conhecem minha simplicidade. Sempre fui assim e sempre vou ser. Acredito que a prefeitura foi feita pra servir a todos sem distinção, por isso, se eleito, vou deixar as portas abertas para toda a população. Sempre pensando no melhor para o município e não em benefícios próprios ou poder pessoal. O prefeito é servidor do povo e não o povo servidor do prefeito”, aponta sob seus diferenciais.

Jurandir à esquerda, com deputado Bacil ao centro, e Alan à direita. PSD dos pré-candidatos coliga com PSL.

Neste contexto, o pré-candidato elenca a pandemia e a possível redução de repasse federal ao município, como algo que o futuro prefeito terá pela frente. Somando da necessidade de uma proposta concisa de geração de empregos. O alinhamento político pode ser um destes diferenciais, por ser do partido do governador do Paraná Carlos Massa Ratinho Júnior.

“Ele nos apóia, sabe da nossa qualidade e competência. Também temos os deputados estaduais Alexandre Curi e Emerson Bacil que sempre estão em contato conosco. Além do deputado federal Sandro Alex, que hoje é secretário de Infraestrutura do Paraná”, acrescenta. Junto disso, a perspectiva de enxugar a máquina pública, reduzir gastos e poder superar estes desafios.

O pré-candidato, na condição de oponente à atual gestão, prefere não avaliar, mas opina que um número maior de médicos especialistas é necessário. Caso de um geriatra para os idosos em Antônio Olinto. Outra situação é rever os atendimentos esporádicos em Posto do interior. Seu entendimento é que deve ser ampliado até para facilitar o acesso aos moradores das referidas localidades.

Na educação, a proposta é o incentivo para a formação continuada, somado da efetivação do plano de cargos e carreiras. “Além de igualar o salário ao piso nacional”. Garantindo trabalho mais qualificado e melhor futuro para as crianças. Incentivo estendido aos pequenos agricultores, com diversificação, fortalecimento, parceria para terminal de calcário e regularização de Lei para melhorias dentro da propriedade.

Somados de novas ligações entre estradas principais e vicinais, aproveitando a proximidade entre as comunidades e melhorando os acessos aos produtores. Neste contexto, também, o objetivo é regularizar a Pedreira do Lavador, para gerar economia com compra de pedras. “Nosso município é 95% agrícola, por isso temos que dar uma maior estrutura para os nossos agricultores”, opina.

Sobre a situação fiscal, Alan Jaros disse que espera que o futuro prefeito receba nas condições que o atual recebeu, “em dia e sem dívidas”. Reforçando que concorre sem nenhuma promessa de cargo ou salário. “Nossa política é limpa e transparente, então acredito que podemos enxugar a máquina pública. Não só em cargos ou gratificações dadas para apoiadores, mas em outras áreas também”.

Sidnei Muran

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Com vasta experiência na área política e na administração pública, Tiquinho é pré-candidato a prefeito de São Mateus do Sul
A visão dos são-mateuenses para a nova gestão política de Bolsonaro
Projeto de Lei que prevê a alteração do Plano de Cargos e Salários dos servidores municipais é anulado