Administração e Negócios

Alianças estratégicas

Não é mais novidade que a transformação ocorrida no mercado a nível mundial, por ocasião da globalização, desencadeou nos últimos anos uma alta competitividade empresarial. Hoje podemos afirmar que um concorrente não é somente aquele que ocupa a mesma praça e que oferece produtos ou serviços semelhantes, mas também aquele que pode estar em qualquer lugar do mundo, principalmente pelo advento e crescimento constante do comércio eletrônico.

O que ainda é novidade para muitas empresas é como se manter competitiva sabendo que mudanças constantes ocorrem, que novas tecnologias estão sendo inseridas, que inovações são mais que necessárias, e ainda com incertezas econômicas para alguns negócios.

Uma das alternativas que as empresas possuem para continuarem crescendo, é a chamada aliança estratégica. É sabido que a aliança simboliza uma ligação ou união entre indivíduos, e no ambiente empresarial o conceito não é diferente.

Aliança estratégica é a relação formal entre duas ou mais empresas que buscam alcançar um conjunto de objetivos previamente acordados, porém, mantendo-se como empresas independentes.

Uma aliança estratégica pode apoiar de maneira significativa a inovação necessária de uma empresa, pois usa os conhecimentos e competências de outros parceiros. Além dos recursos intangíveis, elas partilham capacidade de produção, produtos, canais de distribuição, financiamentos de projetos e demais recursos, de modo a criar condições benéficas de trabalho, além é claro de dividirem os riscos que normalmente seriam obtidos de maneira individual.

A aliança estratégica, ao criar sinergia empresarial, resulta em vantagem competitiva que tende a levar as empresas a um patamar de resiliência.

Esse tipo de estratégia deveria ser visto como uma oportunidade, principalmente pelas pequenas e médias empresas, que muitas vezes não possuem recursos suficientes para promover seu próprio crescimento.

Existem várias maneiras de ser gerada uma aliança estratégica, uma delas é conhecida como aliança sem participação acionária, isto é, empresas parceiras concordam em trabalhar juntas, mas não assumem participação no capital uma da outra. Outro modo ocorre pela aliança com participação acionária, ou seja, as empresas criam parcerias definindo também uma participação no capital da outra empresa. Também existe outro modelo de aliança estratégica, conhecida como Joint Venture, onde as empresas parceiras se unem para criar e partilhar uma outra empresa.

Um exemplo bem conhecido de aliança estratégica, foi quando a Cervejaria Brahma e a Companhia Antarctica se uniram e criaram uma joint venture chamada Ambev.

Nos encontramos na próxima edição! Bons Negócios.

Últimos posts por Eleandro Soares (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Gestão sustentável nas empresas
Eficiência e eficácia, qual a diferença?
Liderança: Poder ou Autoridade?