Educação e Cultura

Aluna são-mateuense é destaque na Olimpíada Brasileira de Matemática (OBMEP)

A jovem Vitória Ulbrich Pichet de 12 anos, aluna do 7ª ano (6º série) do Colégio Sema, filha de Luciane Ulbrich Pichet e Marcelo Pichet, participou e garantiu a medalha de prata em seu nível, disputando com centenas de outros alunos do Brasil inteiro. (Foto: Alexandre Müller/Gazeta Informativa)

A 13ª edição da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) que é realizado pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), com apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), tem como objetivo estimular o estudo da matemática e revelar talentos na área, e em 2017 contou com a participação das escolas privadas de todo o Brasil.

A olimpíada integra o calendário de atividades do Biênio da Matemática do Brasil 2017-2018, que tem patrocínio do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) e apoio dos ministérios da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e da Educação. Criada em 2005 pelo IMPA, a olimpíada incentiva o ingresso dos jovens nas áreas científicas e tecnológicas, além de promover a inclusão social pela difusão do conhecimento.

A OBMEP 2017 é dirigida aos alunos do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e aos alunos do Ensino Médio, de Escolas Públicas municipais, estaduais, federais, e escolas privadas, bem como aos respectivos professores, escolas e secretarias de educação. Os alunos participantes da OBMEP 2017 foram divididos em 3 níveis, de acordo com o seu grau de escolaridade:

Nível 1 – alunos matriculados em 2017 no 6º ou 7º ano do Ensino Fundamental;
Nível 2 – alunos matriculados em 2017 no 8º ou 9º ano do Ensino Fundamental;
Nível 3 – alunos matriculados em 2017 em qualquer ano do Ensino Médio.

Orgulho são-mateuense

Em São Mateus do Sul, a jovem Vitória Ulbrich Pichet de 12 anos, aluna do 7ª ano (6º série) do Colégio Sema, filha de Luciane Ulbrich Pichet e Marcelo Pichet, participou e garantiu a medalha de prata em seu nível, disputando com centenas de outros alunos do Brasil inteiro, “fiquei surpresa quando passei para a segunda fase. Na primeira acontece com todos os alunos de cada escola e a segunda são os melhores alunos da primeira fase à nível municipal. Sempre achei a matemática fácil, para mim, uma das matérias mais fáceis que existe, por isso é a minha preferida”, afirma a aluna.

A primeira fase caracteriza-se pela aplicação de prova objetiva (questões de múltipla escolha), de caráter eliminatório, com 20 questões totalizando 20 pontos, diferenciada por cada nível, obedecendo conteúdos previstos nos Parâmetros Curriculares Nacionais dentro de cada escola. Classificaram-se para a Segunda Fase os alunos que obtiveram as maiores notas na prova da primeira fase, selecionados em ordem decrescente de nota, até que se preencha o total de vagas disponível para cada escola, em cada Nível.

A terceira e última fase compreende a Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), a qual foi realizada no sábado (25/11), em Curitiba – Paraná, e Vitória almeja ter acertado mais da metade das questões e aguarda ansiosa pelo resultado que será divulgado por volta da segunda quinzena do mês de dezembro.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Educa Mais Brasil: abertas as inscrições para bolsas de estudo no Paraná
Francisco Caminski é homenageado com monumento no Colégio São Mateus
Biblioteca municipal retoma atividades