Jornal de São Mateus do Sul (PR) e região

Alunos se reúnem em grupo de estudos para se prepararem para os vestibulares e contam com a ajuda de professores voluntários

Em busca de seus objetivos e com a colaboração voluntária de alguns professores, alunos se destacam com a criação de grupo de estudos. (Foto: Alexandre Müller/Gazeta Informativa)

Alunos do Colégio Estadual Duque de Caxias de São Mateus do Sul, surpreenderam professores e equipe pedagógica ao se mobilizarem com a criação de um grupo de estudos que visa prepará-los para encarar os vestibulares e processos seletivos para a entrada no ensino superior.

Os alunos do 1º ano do colégio, que tem entre 14 e 15 anos, foram instigados pelo propósito de se prepararem para as concorridas disputas pelas poucas vagas no ensino superior público. “Pensamos em conversar com os professores e primeiramente tivemos o contato com a professora Cristiane Wenglarek da Silva, que topou em colaborar conosco e sugeriu conversarmos com os demais professores e organizarmos um grupo de estudos.”

Os professores que dedicam parte do seu tempo de forma voluntária para colaborar com os alunos são: Cristiane Wenglarek da Silva das disciplinas de biologia e química; Patrícia Kogge da disciplina de português; Ivanildo Sachinski de história; Tatiane Moreira de artes; Néli Rulka Reckelberg de filosofia; e Daniel Cândido Figueira em matemática.

“Esse tipo de atitude e maturidade dos alunos é muito rara de se encontrar em jovens dessa idade, pois os adolescentes não são acostumados a pensar no futuro. Há cerca de 15 anos atuando como professora, nunca tive essa oportunidade de encontrar um grupo de adolescentes que sozinhos se organizaram para montar um grupo de estudos, em busca de professores que pudessem colaborar. Foi um momento extremamente especial da minha vida e carreira. Temos de incentivar esse tipo de atitude”, afirma a professora Cristiane.

Muitos podem questionar a ação e mencionar que os alunos podem se preparar diariamente com o conteúdo aplicado em sala de aula, mas segundo os alunos, o objetivo do grupo é entender como organizar os estudos do conteúdo do ano todo, a fim de estudar para o Processo Seletivo Seriado (PSS) da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e o próprio Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).

Partindo desse interesse, muitos professores reconheceram o fato dos alunos e se propuseram a colaborar. Eles se organizaram e uma vez por semana tem aulas de biologia, química, história, filosofia, artes e matemática. Eles estudam pela manhã e à tarde participam do grupo de estudos.

As atividades iniciaram logo no segundo semestre com o retorno às aulas no mês de julho e reuniu 7 alunos: Fátima Stempniak 14 anos; Heloísa Kuczera 15 anos; Lauane Aparecida Niespodzinski 15 anos; Maria Elisangela Buaski 15 anos; Michele Gimny 15 anos; Vagner Santana 14 anos; e Tainara Witonski 15 anos.

Os alunos relatam que a direção do colégio colaborou cedendo uma sala de aula para o grupo de estudos e pouco tempo depois também disponibilizou o almoço, pois todos os alunos dependiam de arcar com a alimentação por residirem no interior. “Hoje nossa maior necessidade é poder contar com mais professores, elencando as disciplinas de geografia e espanhol.”

Ainda segundo os jovens, todos os alunos do colégio foram convidados a participar do grupo de estudos, mas a grande maioria, principalmente os colegas do primeiro ano do ensino médio, ainda não se preocupam com os processos seletivos e não veem interesse em participar da preparação. “Vemos e temos noção que nosso interesse, que para muitos parece cedo demais, nos dará mais chances e estaremos melhor preparados para encarar os vestibulares.”

Os educandos, que residem nas comunidades de Dois Irmãos, Água Branca, Tijuco Preto, Estiva e no Jardim Dona Hermínia, visam se preparar para os vestibulares que os levarão aos cursos de Veterinária, Agronomia, Psicologia, Administração, Medicina, Farmácia e Odontologia.

No grupo de estudos os alunos destacam que focam muito mais nos conteúdos. “Nosso nível de aprendizagem é muito maior, pois no grupo de estudos estão apenas os alunos que de fato tem interesse em aprender, diferente da sala de aula que muitas vezes diante turmas lotadas, os professores sofrem para ensinar e os alunos penam para aprender.”

Os jovens afirmam que querem trazer mais alunos para participarem do grupo. “Não podemos deixar de agradecer os professores que dispõe de seu pouco tempo para colaborar conosco e a direção do colégio que nos apoia com o espaço e a alimentação”, concluem.

Compartilhe esta reportagem...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Print this page


Comentários: