Indústria e Comércio

Amanhã é o dia “D” para a greve na SIX

Divulgação

Divulgação

No dia 1º de setembro os petroleiros do regime de turno ininterrupto da Usina do Xisto (SIX), em São Mateus do Sul, deflagravam a greve que hoje (04) completa 34 dias, o mais longo movimento paredista já registrado na SIX.

O motivo é a imposição de uma nova tabela de turno pela Petrobras que reduz de oito para seis horas o turno, mas que aumenta os dias laborados no mês e, consequentemente, diminui o número de folgas, causando prejuízos financeiros e para o convívio social e familiar dos trabalhadores.

Desde que a greve começou foram feitas muitas tentativas de negociação direta entre as partes, mas sem nenhum avanço. A Petrobras se mostrou irredutível na medida que tanto prejudica os empregados e resolveu ingressar com ação de dissídio coletivo no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 9ª Região. Na mesma ação fez pedido de liminar para julgar a greve abusiva e houvesse o retorno imediato ao trabalho. Porém a desembargadora Marlene Teresinha Fuverki Suguimatsu, vice-presidente do TRT e responsável por julgar os dissídios, considerou o pedido improcedente.

A magistrada ainda determinou audiência sobre a ação para esta quarta-feira (05), às 14h00, na sede do TRT, em Curitiba. O resultado pode pôr fim no impasse que provocou a greve.

Em reunião com a desembargadora ontem (03) ficou estabelecida a adoção de quatro grupos de turnos de revezamento com jornadas de oito horas, em regime de contingência, sendo três deles indicados pelo Sindicato. A reunião teve o objetivo de dar cumprimento ao art. 11 da Lei de Greve (7.783/1989), especificamente para a manutenção dos serviços essenciais e evitar a parada da Unidade durante a greve.

A audiência será transmitida ao vivo pelo canal do TRT-PR no Youtube (www.youtube.com/TRTPR).

Com informações do Sindipetro PR e SC

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Situação da SIX chega a Dilma e ministro garante a Ledur que unidade será mantida
Acordo no TRT-PR encerra a greve na SIX
Incepa suspende suas atividades por conta da paralisação dos caminhoneiros

Os comentários estão fechados