Esta Semana

Amar… Amarelo!

Navegando internet a fora, tomei nota no começo deste mês da causa – Setembro Amarelo, até então desconhecida por mim. Ou seja, as campanhas realizadas pelos grupos estão funcionando com ajuda das redes sociais.

A campanha aborda uma questão que ainda é um tabu em nossa sociedade, o suicídio. Só para entendermos a gravidade do assunto, o suicídio pode ser considerado um problema de saúde pública, segundo dados da CCV (Centro de Valorização da Vida), no Brasil o suicídio ultrapassa as mortes por AIDS ou câncer, é importante entender que ambas doenças tem tido uma campanha massiva de concientização para a população, que estão gerando uma visão mais clara sobre prevenção e tratamento.

Não fumar, fazer exames preventivos, usar camisinha, não compartilhar objetos que tenham contato direto com sangue, praticar exercícios físicos, ter rotina alimentar saudável. Taí, acabei de dar dicas importantes para prevenir diversos tipos de doenças em poucos caracteres, mas e quando se trata de uma campanha como a deste mês, existem dicas? Soluções? É algo simples e tratável?

Sem dúvida, simples não é, mas tratável sim. Sugundo a mesma organização, 90% dos casos de suicídio são tratáveis, sendo assim, temos que analisar os fatores gerais da questão para entender porque uma causa tão remediável mata tantas pessoas assim.

Na vida temos de lidar com diversas situações complexas, acho que uma das maiores é a procura do sentido da própria existência. Auto conhecimento, filosofar e valorizar nossos sentimentos é fundamental, mas é bom lembrar que em nossa socidade, muitas vezes nos vemos sufocando e tapando nossos sentimentos, afinal, temos que produzir, as engrenagens do sistema não podem parar.

Nossas rotinas estão cada vez mais cheias, o tempo passando cada vez mais rápido. Se até alguns anos atrás, o problema era a falta de diálogo nas famílias e uma sociedade demasiadamente conservadora e opressora, hoje em dia, temos novos problemas e novos obstáculos, e nem todo mundo encara da mesma maneira.

A depressão, doença estudada e combatida ativamente na vida contemporânea, atinge pessoas de todos os gêneros, idades, credo, filosofia e tem uma ligação perigosa com o suicídio, porém, em alguns pessoas que não apresentam a doença cometem o ato por impulso, de forma drástica, por atos momentâneos, causados por um desiquilíbrio emocional ou até mesmo afetado pelo uso de drogas.

Tristezas, frustrações, melancolia, angústia, solidão, são sentimentos que todos nós seres humanos estamos sucessíveis, isto é fato. Mas a forma que lidamos com isso é que nos faz evoluirmos, crescer e amadurecer. Existem situações e momentos na vida em que realmente nos vemos fragilizados e nem sempre conseguimos lidar sozinhos com isso. Por isso, percebi que a campanha em si, é algo para lembrarmos disso – Você não esta sozinho!

Conversar e dialogar abertamente com nossos familiares e amigos é demasiadamente importamte e facilita para eles entendam o que esta se passando em sua cabeça e coração. Publicar nas redes sociais seus problemas e angústias não vai dimunuir sua aflição, pelo contrário, só acaba explicitando sua fragilidade de forma não muito construtiva.

E claro, em alguns casos, a melhor opção é procurar uma ajuda profissional, psicólogos, terapêutas estão aí para isso! Melhor que ir para o uso de medicamentos, é buscar a cura ou amenização da dor através do auto conhecimento.

Em caso de emergência, procure ajuda, você não está sozinho!

Maiores informações:
www.setembroamarelo.org.br
Centro de Valorização da Vida – Atendimento 24h | www.cvv.org.br

Últimos posts por Ed Guimarães (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
A Ilustração e Eu
Precisamos falar sobre “Coisas Estranhas”
Gibi pra ler ou pra comer?