A pavimentação que liga os municípios de São Mateus do Sul e Irati visa o desenvolvimento regional. (Fotos: Pedro Wasilewski/Cine Central Filmes/Gazeta Informativa)

São 50 anos de história em quase 50 quilômetros de trajeto: a pavimentação da PR-364, que liga os municípios de São Mateus do Sul e Irati – que há décadas é sonhada por moradores que passam pelo trecho –, já está ganhando forma. As obras iniciaram de maneira silenciosa, sem alarde aos moradores. A Triunfo S/A, empresa ganhadora da licitação e responsável pela obra que soma mais de R$ 109 milhões, está com o maquinário concentrado no terreno do Hospital Erasto Gaertner, que firmou contrato de locação com a empreiteira em março de 2019.

As primeiras movimentações das obras começaram na região de Irati, e no momento a empresa está realizando o processo de drenagem. Anteriormente, a equipe realizou a limpeza com a supressão e remoção da camada vegetal. Na sequência, devem ser executados os serviços de drenagem profunda com a construção de bueiros, galerias e drenos, e posterior serviço de terraplenagem, como cortes e aterros. Ao todo serão implantados mais de 100 bueiros e galerias celulares para transposição de talvegues – linha de maior profundidade no leito de um rio.

No trecho ainda não asfaltado, o traçado existente será mantido com a implantação de rodovia em pista simples com acostamentos. Haverá uma variante somente nos 1.200 metros finais do trecho, na chegada de Irati, para desviar o bairro Riozinho e retirar o trânsito de perto das residências. Também está prevista a construção de uma nova ponte sobre o Rio Turvo, com 14 metros de extensão. Em Irati, uma trincheira fará a ligação da PR-364 e BR-153, que fica próximo ao trecho conhecido como “Curva da Morte”, onde há grande movimento de veículos e pedestres. A rodovia contará com faixas de rolamento de 3,5 metros de largura e acostamentos de 2 metros de largura, totalizando 11 metros de plataforma pavimentada, com sinalização adequada e dispositivos de segurança implantados.

De acordo com o Departamento de Estradas e Rodagem (DER), será necessária a desapropriação de algumas áreas. Atualmente a equipe possui técnicos em campo entrando em contato com os proprietários, visando a coleta de documentação. “O projeto também prevê uma interseção em desnível no cruzamento da PR-364 com a BR-153 no município de Irati. Este dispositivo garantirá maior segurança aos usuários, pois minimiza conflitos entre os fluxos de veículos que trafegam pelas duas rodovias, além de propiciar maior fluidez ao tráfego local”, informa o DER.

Desvios

A orientação é para que os moradores vizinhos da PR-364 trafeguem com cautela, atentos à sinalização do trecho. Como sugestão de desvio para os usuários que vão de São Mateus do Sul em direção a Rebouças ou Irati, a rota indicada é a BR-153.

Benefícios

Além de reduzir o tempo de trajeto, a pavimentação da PR-364 abrirá ligação de duas importantes rodovias: a BR-153 e a BR-476, além de facilitar o deslocamento de quem vem do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Também ficará mais fácil o acesso a vários sistemas em direção a Foz do Iguaçu, São Paulo, Curitiba e Porto de Paranaguá.

A previsão para a conclusão da obra é de dois anos, que beneficiará cerca de 112 mil habitantes. A obra integra o Programa Estratégico de Infraestrutura e Logística de Transportes do Estado do Paraná, em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Pavimentação atrelada ao desenvolvimento regional

Segundo André David Piskorz, morador do município de Rebouças – localizado entre o trajeto que será pavimentado –, a obra é uma reivindicação antiga feita pelos moradores. “Acredito que através dessa obra nossa região irá se desenvolver em vários aspectos fortalecendo o comércio, as indústrias e a agricultura regional”, aponta. Piskorz ressalta que o trecho do seu município irá receber a maior quantia de pavimentação, pois cerca de 30 quilômetros – dos 49 pavimentados –, passam por Rebouças. “Penso que após a conclusão da pavimentação da rodovia teremos muitas mudanças, e para melhor”, acredita.

Rafaela Zambão Meira, natural de Rebouças mas que atualmente reside em São Mateus do Sul, realiza o trajeto de estrada de chão diariamente até a Universidade Estadual Oeste (Unicentro) – campus Irati, e comenta as dificuldades do caminho. “Esse ano a estrada está em condições piores que em 2018. Gastamos mais de 1h30 na viagem, e o atraso por conta da estrada prejudica em dias de prova”, diz. Além da otimização do tempo de viagem e o conforto em uma estrada segura, Rafaela acredita que a pavimentação irá dar mais visibilidade para a Universidade que possui uma grade de ensino referência no Estado.

CHARGE

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Foi iniciada a sessão pública de julgamento das propostas da licitação para a construção do novo Hospital
Prefeitura promove obras nas ruas da Vila Amaral
Mais de cem vagas estão disponíveis para Parada de Manutenção na SIX