Jornal de São Mateus do Sul (PR) e região

Aprovada em três universidades federais, estudante de Direito destaca o caminho para aprovação

Aluna do Colégio Sema desde os quatro anos de idade, Julya Naara Mayer Wiesniewski tinha o sonho de passar em uma universidade federal. Mal poderia imaginar que a alegria seria triplicada. (Arquivo Pessoal)

“Foi surpreendente”, afirma a estudante de Direito da Universidade Federal do Paraná e ex-aluna do Colégio Sema de São Mateus do Sul. Para chegar até a vaga na federal, Julya Naara Mayer Wisniewski passou por uma rotina de muito estudo e dedicação. O resultado foi além do esperado, conquistando além da vaga na UFPR, a vaga em Química e Direito na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e de Direito na Universidade Federal de Santa Maria pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

“Sabia que se me dedicasse, se estudasse, tivesse rotina de estudos, ia ter resultado. Mas, nem acredito que Deus me abençoou em passar nas três federais. Parece que estou vivendo um sonho”, relata a estudante.

Vocação profissional

Boa aluna desde criança, foi nos últimos anos do Ensino Médio que a estudante decidiu focar na preparação para vestibular. “Sempre gostei de estudar, se deixasse para estudar só no último ano, não teria o mesmo resultado”, avalia.

O primeiro passo foi a escolha do curso a seguir. A afinidade com as disciplinas de Filosofia e História, além de gosto pela escrita denotavam sua afinidade com as áreas de Ciências Sociais e Humanas. No entanto, apenas no final do segundo ano surgiu o interesse pelo curso de Direito. “Alguém me disse que eu tinha cara de estudante de Direito e eu criei uma paixão pelo curso. Foi uma coisa de Deus”, relata Julya. “O fato de o meu avô ter feito parte da vida política e ter conhecimentos da área jurídica também influenciaram a minha decisão, pois ele é uma pessoa próxima e extremamente inteligente, que eu admiro muito”, complementa.

O teste vocacional feito pela psicóloga do Colégio Sema, indicou tendência a profissões que dependessem da fala e da persuasão, o que ajudou a ter certeza do caminho a seguir.

Com o início das aulas do bacharelado em Direito na UFPR, a certeza de ter feito a escolha correta é ainda maior. Já nas primeiras semanas, ela relata o contato com profissionais de diferentes áreas e demonstra os sonhos para seu futuro profissional: “Pretendo continuar estudando na área, fazer mestrado e doutorado”. Além disso, Julya destaca que a formação possibilita atuar em diversos setores, como advogada, promotora ou até juíza.

Dedicação e rotina de estudos

Ciente da alta concorrência que iria enfrentar, a estudante focou na organização da sua rotina de estudos para enfrentar o desafio. “Você mesmo se põe pressão, tem medo de decepcionar aqueles que acreditam em você”, explica.

Nesse processo, o apoio da instituição de ensino na qual estudou a vida toda foi essencial, já que o Colégio Sema passou a ser sua segunda casa. “Amo os professores do colégio”, exclama. Boa parte dessa admiração, deve-se à longa convivência, já que alguns professores acompanharam boa parte da vida escolar de Julya. Outros, mesmo entrando em sua vida mais tarde, fizeram-se presentes em momentos importantes. “A gente tinha abertura para tirar dúvida com eles pelas redes sociais”, aponta. Dentre os aspectos positivos elencados por Julya, está a atenção especial dada pelos professores, especialmente nos momentos de incerteza e de insegurança: “Mesmo eu não acreditando, minha família e os professores confiaram em mim.”

Além das aulas no turno da manhã, das aulas de tira-dúvidas oferecidas pelo colégio no turno da tarde, os alunos do terceirão do Sema têm em média 120 exercícios no formato de vestibular para resolver por dia. A dinâmica, embora seja exigente, ajuda os estudantes a revisarem o conteúdo visto em sala de aula e a se adaptarem com o ritmo dos exames vestibulares. Há ainda as propostas de redação, que fazem com que os alunos exercitem alguns dos possíveis temas.

Para aguentar a carga pesada de estudos, o tempo de diversão também era importante. Atividades como sair com os amigos, assistir TV e dormir bem eram essenciais para Julya. “Não pode abrir mão da vida social, deixar de dormir. Não pode por tanta pressão. Tem que ir com calma. Fazer o que conseguir e focar nas matérias que tem mais dificuldade. Tem que ter paciência e organização.”

Curso preparatório para vestibular Sema

No segundo semestre, Julya participou também do curso preparatório do Colégio Sema. Com aulas no período noturno, o cursinho foi importante para a revisão dos conteúdos, além de proporcionar o contato com mais vestibulandos.

Para Julya, fazer o cursinho em São Mateus do Sul teve a vantagem de continuar na casa dos pais e focar mais nos estudos, já que a adaptação de mudar de cidade, a rotina e as responsabilidades de morar sozinha poderiam ter interferido na sua preparação. “O Colégio oferece tudo o que você precisa e os professores são excelentes. Com o tira-dúvidas, conseguia fixar mais a matéria, e, no cursinho, revisava o que tinha aprendido.”

Para a estudante, a vaga na universidade pública é uma grande conquista. “Primeiro por vencer a concorrência alta e também porque você conhece muitas pessoas que agregam na tua vida”, destaca. Embora tenha sido um ano de bastante estudo, ela avalia que valeu a pena. “Minha mãe sempre me fala, que a gente não perde tempo estudando. O investimento em conhecimento sempre vai ter retorno.”

Larissa Drabeski

Larissa Drabeski

Jornalista com MBA em Administração e Marketing, é cofundadora da empresa Levante - Fotografia e Comunicação, que oferece serviços diversos de marketing e comunicação empresarial. Contato: larissadrabeski@gmail.com
Larissa Drabeski
Compartilhe esta reportagem...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Print this page


Comentários: