A artista local Jô Malowana, nome artístico de Josiane Aparecida da Rosa Santos Mayer, tem desenvolvido uma série de belos trabalhos cujas principais influências são o amor e a cultura polonesa. (Foto: Acervo pessoal)

O município de São Mateus do Sul também é uma terra bastante rica quando o assunto em questão está ligado às manifestações artísticas. Ao longo dos mais de 100 anos de sua história, diversos exemplos talentosos figuraram no dia a dia de nossa sociedade. No entanto, a arte no Brasil ainda é um cenário que exige maior valorização, sendo este um dos papéis que pode ser desempenhado das mais diversas formas, tal qual através da divulgação constante do mesmo. As pinturas desenvolvidas por Jô Malowana, nome artístico de Josiane Aparecida da Rosa Santos Mayer, têm chamado a atenção de todos e já figuram em algumas paisagens conhecidas de todos os são-mateuenses.

A artista, nascida na cidade da Lapa, também tem suas raízes em nosso município ligadas à comunidade rural da Tesoura, considerando-se uma são-mateuense de coração. “Eu faço desenhos desde os meus 9 anos de idade. A arte com o intuito de comercialização eu comecei a fazer por volta de 2009, fazendo artesanatos com folhas de papel ouro, peças em gesso e pinturas envelhecidas. Assim surgiu o meu envolvimento com a arte, que foi se diversificando ao longo dos anos. Uma das práticas que eu gosto de desenvolver, envolve a reutilização de materiais, buscando atingir a questão da sustentabilidade, que é muito importante”, destacou ela.

Incentivo dos avós

Josiane recordou sobre o incentivo à arte ocorrido ao longo de sua criação. “Fui criada pelos meus avôs, na comunidade da Tesoura. Minha avó incentivava muito esse meu lado artístico. Na época não existia muita acessibilidade à informação, como atualmente temos na internet e em cursos, por exemplo. Realizei um deles através do correio, do Instituto Universal Brasileiro, que me capacitou e formou em relação aos desenhos. De lá pra cá, tenho me capacitado através da experiência do fazer, aprimorando traços e buscando sempre inovar de uma obra para a outra”, explicou a artista.

O apoio dos avôs Alzira Lima Ferreira e João Antunes Gonçalves dos Santos compôs a base para as manifestações artísticas desenvolvidas por Josiane ao longo dos anos. (Foto: Éber Deina/Gazeta Informativa)

O processo criativo

De acordo com Josiane, a identidade artística que ela construiu ao longo dos anos seguiu um caminho bastante especial. “Eu simplesmente fui desenhando, pintando e criando, para mim é bem surreal e divino o que aconteceu. Agradeço todos os dias por estar fazendo estes trabalhos. Recebemos os dons de Deus, só precisamos desenvolvê-los. Quanto mais treinamos, melhor fica o resultado. Me esforço todos os dias para melhorar, é isso que me move”, destacou ela.

Nome artístico

Jô Malowana, seu nome artístico, tem relação com a cultura polonesa, que se faz evidente nas artes produzidas pela artista local. “Malowana significa pintura e pintada, em polonês. Apesar de eu desempenhar outras atividades, como no comércio, pintar é a minha vida. Decidi juntar essa palavra tão importante com o meu nome. Minha principal inspiração é o vilarejo de Zalipie, na Polônia, pois lá a arte Malowana é muito forte, sendo transmitida de geração para geração”, revelou ela.

Envolvimento com a pintura polonesa

A artista também comentou sobre seu envolvimento com esta forma mais específica de arte. “Trabalho com a pintura polonesa desde 2017 aqui em nossa cidade, de maneira que fui desenvolvendo mais esta vontade com o passar dos anos. Sou uma admiradora da cultura polonesa, acho que ela deve ser relembrada em todos os espaços. É um povo de muita garra e força, porque a história de seus antepassados é de muita superação. Eles têm uma cultura muito rica. Meu esposo Aramis é de origem polonesa e eu gosto de dizer que, apesar de ter origens distintas, meu coração e minha mente são poloneses também”, frisou ela.

Trabalhos desenvolvidos

Além de uma pintura que decora seu próprio estabelecimento comercial, a arte de Jô Malowana já pode ser observada em outros espaços. “Fico muito contente pelos trabalhos que desenvolvi em alguns locais públicos importantes, como na Rua do Mathe e nos quiosques da Praça do Rio Iguaçu. Além disso, minha arte também já está presente em alguns empreendimentos locais, o que também me enche de bastante orgulho”, confessou.

Os quiosques da Praça do Rio Iguaçu também foram decorados com as ricas pinturas realizadas por Jô Malowana, que realçaram ainda mais a beleza do local.

A artista agradeceu a viabilização de suas artes em espaços públicos como a Rua do Mathe, principalmente através do apoio exercido pelo Codesamas (Conselho de Desenvolvimento Econômico de São Mateus do Sul).

Se inspirando no amor

Para finalizar, Josiane comentou sobre as principais influências no seu trabalho. “É difícil enumerar, mas vou colocar aqui as principais. Me inspira muito a minha filha Claraluz, que é o motivo por eu me levantar todos os dias e superar todas as minhas lutas diárias. Ela me motiva e é uma influência muito forte na minha arte. Como inspiração, também tenho o desejo de conhecer Zalipie e esses lugares especiais que nós admiramos. Eu tenho o grande incentivo de meu esposo Aramis, que também se preocupa com essa nossa identidade polonesa. Essas são as inspirações que fazem eu concretizar a minha arte”, agradeceu ela.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Iede Skalski é a primeira a completar o álbum de figurinhas do Atlético
Jovem são-mateuense ganha destaque em projetos relacionados à Robótica
A irmandade em dose tripla