Histórias de Terra e Céu

As mentes que imaginaram nosso principal símbolo

Se você procurar nas imagens do Google o nome “São Mateus do Sul”, verá que a principal figura que aparecerá repetidas vezes será a nossa Igreja Matriz. Há alguns dias eu postei fotos dela e um amigo de fora da cidade perguntou: “Quem fez o projeto desta igreja?”. Eu realmente não sabia quem havia feito o projeto. Conhecia o nome de moradores que trabalharam no acompanhamento e na execução da obra, mas quem teria feito a planta era uma incógnita. Apenas nesta última semana, um documento escrito durante a construção da matriz veio acabar com minhas dúvidas. Embarque comigo nesta história!

A ideia de construir uma nova igreja matriz remonta a década de 40, mas havia uma rivalidade que emperrava o processo: a cidade tinha duas capelas, uma para São Mateus e outra para Nossa Senhora da Assunção, e para unificar as duas em uma única igreja era preciso definir quem seria o santo padroeiro. A unificação só ocorreu em 1948, mas a discussão sobre o padroeiro seguiria agitando a cidade. Em março de 1953 vários moradores assinaram um abaixo-assinado para o bispo falando que há dez anos já discutiam a construção da Matriz, mas exigiam que ela fosse erigida em homenagem a São Mateus, e que ele ocupasse o altar-mor. Nossa Senhora da Assunção deveria ficar num altar lateral. Certamente outros moradores defendiam o contrário.

Foi nesse período também que a nova matriz ganharia forma através da preparação do seu projeto. Assumia a paróquia o padre Paulo Paszyna, que já havia trabalhado em São Mateus entre 1938 e 1941, logo quando chegou da Polônia. Padre Paulo dizia que em São Mateus se sentia como se estivesse na sua “Studzionka” (que era sua cidade natal). Em um documento que meu amigo, padre João Ari, descobriu na Cúria, é citado que em 1953 o Padre Paulo “com a sábia orientação do padre Ludovico Bronny, experimentado na construção de diversas igrejas, prepara a planta da nova Matriz e com habilidade consegue escriturar em favor da Mitra o terreno doado pela Irmandade São José”. Parece bem evidente que o padre Ludovico influenciou bastante Padre Paulo na elaboração deste projeto, pois este primeiro padre projetou várias outras igrejas que guardam grande semelhança com a nossa Matriz.

Padre Paulo deixou São Mateus no ano seguinte, mas sempre manteve o carinho por nossa cidade. No ano de 1964 quando a nova Matriz foi finalmente inaugurada, padre Paulo completava 50 anos de idade e 25 anos de vida sacerdotal, e foi um dos convidados de honra para a inauguração, sendo inclusive citado no cartaz oficial. Onze anos depois ele voltaria para a Polônia, onde morreria aos 83 anos (agradeço ao padre Lourenço Biernaski que me enviou a foto dele). Já o padre Ludovico Bronny faleceu aqui mesmo no Brasil, aos 94 anos (a foto dele obtive no site www.danusia.com.br).

Como coincidência, essas duas mentes que idealizaram o projeto da nossa igreja matriz acabaram morrendo no mês de setembro, exatamente o mês de São Mateus, que venceu a “batalha” com Nossa Senhora da Assunção e acabou dando nome à Paróquia.

Até a próxima semana e céus limpos para todos nós!

Gerson Cesar Souza
Últimos posts por Gerson Cesar Souza (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
A Tela de Rodolfo Wolff
Prohmann e o primeiro carro em São Mateus do Sul
Nadolny contra os Ervateiros