Reflexão com Padre Marcelo S. de Lara

As Minorias na Mídia

Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

O processo democrático se dá pelo trabalho em conjunto das diversas vozes que uma sociedade possui. Se isto não se configura plenamente, é por que a hegemonia de alguns sistemas não permitem. Esses sistemas acabam pela própria tendência capitalista criando grupos que visam lucrar no dinheiro ou se manter no poder em detrimento da falta de inclusão de outros.

A Mídia, mais do que somente os instrumentos de transmissão de informação, mas dizendo mídia aqui no sentido de um sistema político, acaba selecionando fatos, priorizando grupos que ditam tendências, e fazem outros a seguir um padrão.

Os Movimentos Sociais, os grupos em minoria na sociedade, as pessoas sem expressão na mídia são também atores no processo de construção da democracia. Contudo, não conseguem por vezes ter a sua expressão pela falta de apoio ou de espaço nos grupos hegemônicos e elitistas, detentores do poder da informação.

Pensando na evolução tecnológica dos veículos de comunicação, a internet surge como um instrumento de ‘poder’ para os atores sem expressão. É pela internet que as Minorias podem adquirir seu espaço maior na sociedade, levando fatos, informações que contribuam na discussão social da democracia.

Sem espaço na mídia tradicional, os movimentos sem expressão na cobertura midiática, podem, a começar pelo seus atores, formar consciência de luta pela busca do espaço de suas vozes na sociedade. Também pela internet, por meio de blogs, sites, redes sociais, conseguem atingir um grande número de pessoas em lugares antes inimagináveis ao seu alcance. A internet surge para estes como espaço de ‘poder’, de expressão, de influência e de espaço na sociedade, ao menos no que ser refere a uma maior visibilidade.

Por seus próprios veículos de comunicação, tais movimentos aos poucos começam a chamar a atenção e até se tornarem pauta de assunto, provocando discussão em torno de suas ideias e comportamentos, na mídia de grupos com monopólio da informação.

Perceba você em nossos veículos de comunicação que temos a disposição em nosso dia a dia, na TV, no Rádio, no jornal impresso, ou revistas, onde está a presença das pessoas ou movimentos sem expressão social? Na maioria são destacadas pessoas com certa expressão na sociedade. Isto por que tanto tais pessoas como os veículos de comunicação pensam com um padrão social já condicionado pelo sistema.

Nesta lógica, se exclui porque, aqueles que não atingiram ainda o ‘padrão social” que se tem como ‘referência’, não podem aparecer nos jornais, revistas como vozes, como atores da democracia, como emissores de opinião, ou como manifestação cultural.

É importante estarmos atentos a outras vozes, além daquelas que estamos acostumados, e que talvez já nos condicionaram. Democracia requer ouvir as várias vozes para se construir uma sociedade de todos e para todos.

Tem muitas expressões de libertação, de inclusão vindas ‘debaixo’ e que tanto nós como cidadãos democráticos e, as mídias que se dizem democráticas, devem ouvir com atenção e dedicar o devido espaço a elas. Pensemos nisto!

Últimos posts por Pe. Marcelo S. de Lara (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Inspirados por “Franciscos”
Deus no lugar certo
Viva São João!