Prismas

As versões da mesma história

Na briga por pontos de vista, nas redes sociais e até em alguns jornais e informativos reconhecidos, é comum encontrarmos a sugestão de que “é preciso estudar história” ou de que quem defende um ponto de vista “faltou as aulas de história”.

Como já afirmei em outras ocasiões, a história depende de quem a conta. Assim, um fato é descrito ou interpretado de acordo com a visão de quem o produziu e em que época. Eu acredito que, mais do que estudar história, é preciso o desenvolvimento do senso crítico. Para tal, devemos ler, pesquisar, avaliar todos os pontos de vista para aí tirarmos nossas conclusões.

Se voltarmos no tempo, cada vez que surgia um novo conquistador, um novo império, uma das primeiras ações do vencedor da guerra era mandar queimar livros, eliminar os registros. Depois, criavam novos livros, novos registros com o novo pensamento ou apresentavam seus próprios documentos como os aceitáveis e verdadeiros. Acredito que tais atos se baseavam na premissa de que era necessário combater ideias e crenças para preservação do poder. Pretendiam apagar da memória de um povo o seu passado, o seu aprendizado e incutir na mente das pessoas uma nova forma de enxergar o mundo.

Assim, os jovens são os primeiros atingidos em tais “revoluções”, justamente por não terem vivenciado momentos passados e, geralmente, por ainda não terem um censo crítico totalmente desenvolvido. Aí está a importância da leitura e também da orientação dos mais experientes.

Se você lesse a seguinte afirmação: “Com o seu governo, o país se transformou numa potência militar onde grande parte da população viveu uma época permeada pela falta de liberdade de expressão o que resultou na morte, deportação e exílio de milhões pessoas, a maioria opositores ao sistema”. Você diria que este governo seria de direita ou de esquerda? O regime econômico era socialista ou capitalista?

E esta outra: “Tendo controle absoluto sobre as repartições legislativas e executivas do governo, deram início a um extermínio sistemático da oposição remanescente, o Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores foi pronunciado como o único partido político legal no país.” Você diria que este governo seria de direita ou de esquerda? O regime econômico era socialista ou capitalista?

Assim, é preciso que tomemos cuidado com os discursos, nem sempre o que que se diz, o que se vende como imagem é real. Vejam que a história também é contada com base em outras fontes como imagens, por exemplo. Dê uma olhada nas imagens abaixo. Com base no que você conhece, quais delas traduzem a realidade do pensamento da figura histórica retratada?

Che Guevara.

Adolf Hitler em uma caminhada com Helga Goebbels, 1936.

Madre Teresa.

O líder soviético Josef Stalin com uma criança ao colo, num poster de 1947 glorificando o futuro radioso das crianças sob o comunismo.

Quanto as duas situações apresentadas anteriormente, a primeira foi no governo Stalin, na Rússia e no segundo caso, no início do governo de Hitler na Alemanha. Com certeza muitos conseguirão apresentar pontos positivos e negativos de cada momento da história.

Mais uma vez afirmo, a história depende do ponto de vista de quem conta. As ações, boas ou más, são realizadas por pessoas que acreditam que o que fazem é o que deve ser feito e ainda conseguem convencer muita gente disso. Por isso chegam ao poder e são respeitadas e muitas vezes idolatradas.

Adnelson Borges de Campos
Últimos posts por Adnelson Borges de Campos (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Uma nova revolução está acontecendo
O primeiro rascunho da história
Sonhos e metas