As sócias Jackeline Silva e Kleia Flaresso fazem de empreendimento uma junção de profissionalismo, carinho e aprendizado. (Fotos: Cláudia Burdzinski/Gazeta Informativa)

Quem não gosta de receber um presente artesanal feito e pensado especialmente para você? Todo cuidado desde a escolha do tecido, até o molde a ser elaborado fazem parte de uma criação feita com atenção por especialistas que fazem da arte, um agrado para clientes e amigos.

Patchwork significa trabalho manual feito com retalhos, e esse tipo de arte não é algo criado recentemente, toda história por trás da elaboração vem desde a Idade Média, onde as mulheres costuravam retalhos para serem colocados embaixo das armaduras dos cavalheiros com intuito de proteção para o frio. Elas também se reuniam para a confecção de colchas, pois naquele tempo, as mulheres eram incentivadas para a realização desse tipo de atividade manual em grupos, e só poderiam sair de casa por dois motivos: para irem à igreja, e para a confecção e ensinamento do Patchwork.

A produção que antes era feita inteiramente de forma manual, começou a contar com a ajuda de máquinas de costura no ano de 1846, fato que facilitou o trabalho das confecções. A atenção para peças e tecidos fabricados através desta técnica começou a ganhar ênfase no século XX e XXI, e hoje, ilustram um vasto mercado com desenvolvimento significativo nos últimos anos.

O Ateliê está localizado na Rua Ledy Afonso Roderjan, 938, no Centro do município.

Patchwork em São Mateus do Sul

Jackeline Silva e Kleia Flaresso são sócias do mais novo ateliê dedicado ao Patchwork em São Mateus do Sul. Inaugurado no dia 06 de setembro, o ateliê conta com um amplo espaço que junta conforto, luminosidade e tudo que o aluno precisará para a fabricação das próprias peças, que serão desenvolvidas por ele no decorrer das aulas.

Estando em São Mateus do Sul, há 5 anos, a londrinense Jackeline Silva é uma professora dedicada com todo cuidado e carinho ao Patchwork. “Eu sempre tive um ‘Quê’ com tecido, conheci a confecção de corte e costura, mas acabei percebendo que não era isso que eu realmente queria. Também conheci o estilismo e moda, mas não segui carreira. Através de propagandas em jornais e rádios conheci o Patchwork, me inscrevi para o curso e me apaixonei”, conta.

Tendo facilidade em ensinar Jackeline começou a perceber que tinha o dom para dar aula de Patchwork, e fez dessa profissão uma aproximação com São Mateus do Sul. Ela acompanhou o marido até a cidade por motivos de trabalho, e teve grande dificuldade em se acostumar com o novo local.

Após pesquisas por lojas com produtos para o Patchwork no município, Jackeline começou a dar aulas sobre a arte no comércio e também no voluntariado, e dessa maneira, o amor adquirido por São Mateus do Sul fez com que ela resolvesse montar o seu próprio ateliê. Durante esses anos de aula Jackeline conheceu Kleia Flaresso, sua aluna e amiga, e a partir de agora sócia, juntas fizeram com que o Ateliê Patchwork de Coração ganhasse vida.

Kleia conta, “estava com tempo ocioso e resolvi me inscrever, já na primeira aula me apaixonei, desde então sou focada em tempo integral no Patchwork. É algo que vai tomando uma grandiosidade que só quem faz sabe, envolve emoção, criatividade, capricho, amizade e realização”.

A dificuldade de encontrar produtos diferenciados e com qualidade na região, deu sentido a criação do Ateliê, que suporta todas estas necessidades, com venda de tecidos e acessórios necessários para as confecções realizadas durante as aulas. “A escolha dos produtos que serão utilizados é algo que eu sempre desejei, poder escolher o que combina com a confecção é maravilhoso”, diz Jackeline.

O espaço conta com máquinas de costura e todo material necessário. As sócias destacam que, “sempre iremos trazer novidades, não vamos ficar na mesmice, o que surgir no mercado que facilite e harmonize o trabalho estará presente aqui no ateliê, qualidade em primeiro lugar”. “O nosso foco não é atrair apenas as pessoas que saibam costurar, mas pessoas que possuam interesse, porém sentem medo de iniciar”.

A idealização do Patchwork será um dos focos do ateliê, que no futuro pretende disponibilizar workshops sobre outros temas ligados à costura. O Ateliê não será uma loja aberta a vendas, mas sim um espaço de confecções realizadas pelos alunos, com disponibilização de encomenda de trabalhos de Patchwork, e estará de portas abertas para tirar dúvidas sobre o que é realizado nas dependências.

Localizado no Centro do município, na Rua Ledy Afonso Roderjan, 938, o Ateliê Patchwork de Coração ficará aberto apenas durante as aulas, para mais informações de disponibilidade de horários de aulas, entre em contato nos telefones: (42) 98851-8635 ou 98800-6116.

“Convido as pessoas para que venham até o Ateliê conhecer o espaço, oferecemos toda estrutura para o trabalho com Patchwork, que quando realizado, é apaixonante. Vale a pena conferir de perto, é algo novo em São Mateus do Sul e montamos com todo carinho para atender da melhor maneira possível todos nossos alunos”, convida Kleia.

Estudante de Jornalismo que adora escrever e conhecer um pouco sobre a vida e a história de cada pessoa envolvida. Preza pela essência que é repassada na produção de cada matéria, valoriza os pequenos gestos e apoia o ativismo ambiental. E-mail para contato: claudia@gazetainformativa.com.br

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Piccinin Clínicas Integradas investe em profissionais de renome no cenário nacional em várias áreas da saúde para São Mateus do Sul
Curso de robótica inicia em maio no CDI
Escola CDI oferece descontos de até 55% nas mensalidades de cursos no “Black Friday”

Deixe seu comentário

*