Odontologia e Saúde Bucal - Valéria Kruchelski Huk

ATM e DTM: o que são?

Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

A ATM (Articulação Temporomandibular) é uma estrutura que liga a mandíbula ao crânio (na região das têmporas), logo, podemos chamá-la de articulação da odontologia, porque é através dela que realizamos os movimentos bucais (abertura bucal, fechamento bucal, movimentos laterais, mastigação, etc).

Vamos localizar a ATM? Coloque os dedos indicadores em frente aos ouvidos (de ambos os lados), agora abra e feche a boca lentamente – pronto! você encontrou a sua Articulação Temporomandibular.

Essa articulação é bastante complexa, sendo formada por muitas estruturas como: osso, disco articular, músculos, ligamentos, cápsula articular, componentes vasculares e nervosos.

Como mencionado acima é através dessa articulação que conseguimos fazer os movimentos bucais, como por exemplo, quando falamos, bocejamos ou mastigamos. É importante saber que nem sempre essa articulação funciona corretamente. Algumas pessoas podem apresentar sinais e sintomas que mostram que algo não vai bem com a Articulação Temporomandibular, dessa forma é possível que essa pessoa apresente a DTM (Disfunção Temporomandibular).

A DTM (Disfunção Temporomandibular) é, justamente, uma alteração na ATM, que irá alterar a função da articulação, ou seja, comprometendo a mastigação, a fala, a abertura e o fechamento bucal. Acredito que a sua pergunta agora é: o que causa a DTM?

A DTM é multifatorial, ou seja, diversos fatores estão associados. Entre eles podemos citar:

  • fatores psicológicos como o estresse e ansiedade;
  • fatores físicos como um acidente;
  • hábitos parafuncionais como o bruxismo, o apertamento dental e uma hiperatividade dos músculos da mastigação ;
  • problemas bucais como má oclusão (mal posicionamentos dos dentes);

Esses são, de maneira simplificada, alguns fatores que podem levar a DTM. Mas fique atento, pode haver outras causas associadas.

A Disfunção da articulação Temporomandibular apresenta diversos graus de severidade, algumas pessoas podem ter leves sintomas – que não irão comprometer suas atividades diárias – já outras pessoas podem sentir um desconforto tão grande que impedirá de fazer movimentos simples com a boca. Entre os sintomas mais comuns estão: estalidos no ouvido, dificuldade pra abrir a boca, travamento de boca aberta ou fechada, dor na região próxima ao ouvido, dor e cansaço nos músculos da face, etc.

Importante: o diagnóstico é realizado por um dentista ou médico. Nem sempre esse diagnóstico é fácil, muitas vezes requer tempo para chegar a uma conclusão correta. O tratamento é específico para cada caso, e depende do grau de severidade e do tipo da DTM.

Desejo uma ótima quinta-feira a todos.

Até a próxima semana.

Últimos posts por Valéria Kruchelski Huk (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Fluorose Dentária: o flúor em excesso
A polêmica da Cúrcuma
A equipe odontológica: Técnico em Saúde Bucal (TSB)