Maíra Ferraz Faria é pedagoga e professora de Libras em São Mateus do Sul. Ela atua como intérprete de surdos e também lecionando a matéria de Libras em sala de aula. Na imagem, ela está utilizando o sinal que representa “I love you”, para o português “eu amo você”. (Foto: Cláudia Burdzinski/Gazeta Informativa)

A inclusão deve ser aplicada em todos os segmentos do cotidiano, fazendo referência a integração das pessoas de diferentes gêneros, raças, padrões sociais e dificuldades físicas e sensoriais na sociedade. Trabalhando e incentivando cada vez mais a inclusão em São Mateus do Sul, Maíra Ferraz Faria, pedagoga e professora da Língua Brasileira de Sinais (Libras), atua e trabalha diariamente com o ensinamento da língua e também instruindo pessoas surdas e seus familiares na comunicação.

Realizando sua formação em pedagogia pela Universidade de Gurupi (UNIRG), no Tocantins, a são-mateuense comenta que teve seu primeiro contato com a língua de Libras durante a graduação em 2012, pois uma de suas professoras era surda. Após sua formação, Maíra realizou a pós-graduação em tradução, interpretação e docência em Libras, e é intérprete da rede estadual de ensino.

Atualmente, Maíra trabalha no período matutino como intérprete de uma aluna surda do 4º ano do curso técnico em meio ambiente, do Colégio Estadual São Mateus (CESM). No período vespertino, a professora trabalha na Escola Municipal do Campo Professor José Plácido, lecionando para alunos do 4º ano do ensino fundamental I. “Na escola do campo eu não trabalho diretamente com a Libras, mas coloco em prática alguns sinais de primeiro contato com o surdo, se futuramente esses alunos precisarem se comunicar com a Libras, assim saberão”, explica a professora. Maíra também atua na disciplina de Libras no curso de formação de docentes do CESM, e no período noturno é a professora do curso de Libras oferecido gratuitamente pelo estado, através do Centro de Línguas Estrangeiras Modernas (CELEM), atuando com duas turmas com 30 alunos cada.

" A LÍNGUA DE SINAIS É PARA OS OLHOS..O QUE AS PALAVRAS SÃO PARA OS OUVIDOS."

Publicado por Maíra Ferraz Faria em Sexta-feira, 5 de abril de 2019

Para Maíra, a forma de pensar e olhar o surdo foram um dos principais pontos positivos que a Libras trouxe em sua vida. “Somos todos diferentes e o mundo fica melhor quando as pessoas entendem as outras em suas diferenças, isso nos leva a aceitar o outro com conhecimento sobre a sua condição e realidade. Todos os dias são experiências incríveis e maravilhosas”, afirma.

A profissional explica que a principal confusão que as pessoas fazem em relação a Libras é mencionando que a língua seria apenas uma linguagem. De uma forma simples, a linguagem pode ser considerada a capacidade que as pessoas têm de se comunicar. Ou seja, as pessoas se utilizam da linguagem para passar uma mensagem para as outras pessoas. Na verdade, na maioria das vezes, usamos mais de uma linguagem para isso – como a oral, a corporal e a visual. A língua, por outro lado, é um conjunto organizado de sons e gestos que um grupo usa para se comunicar, um sistema que possui uma estrutura e regras próprias.

A professora explica que existem pessoas surdas alfabetizadas em Libras, como L1 (com língua materna) que utilizam Libras para se comunicar. Também existem outros métodos utilizados por surdos não alfabetizados em Libras, como a escrita, sinais criados ou caseiros, surdos oralizados e os que desenvolvem habilidade de leitura labial. “Existem famílias que se dedicam e se esforçam para aprender Libras, como também existem vários fatores pelo qual as família não se preocupam em aprender a se comunicar. Dificuldades sempre encontramos, mas ensinar Libras é bom demais! É gratificante quando você vê que alguém aprendeu – seja ele surdo ou ouvinte, e põe em prática”, testemunha a professora.

Para facilitar as linhas e práticas de comunicação entre a população surda em São Mateus do Sul, Maíra criou em 2018 o grupo “LIBRASAMAS” no WhatsApp, que tem o objetivo de resgatar os surdos do município e levar adiante o projeto com uma associação, alcançando uma comunicação maior entre todos: família, amigos surdos e ouvintes.

Vamos interagir e aprender um pouco mais sobre o alfabeto em Libras? Utilize as letras para traduzir a mensagem de Maíra para a inclusão em São Mateus do Sul.

Estudante de Jornalismo que adora escrever e conhecer um pouco sobre a vida e a história de cada pessoa envolvida. Preza pela essência que é repassada na produção de cada matéria, valoriza os pequenos gestos e apoia o ativismo ambiental. E-mail para contato: claudia@gazetainformativa.com.br

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Karolinka expõe acervo na Casa da Memória em São Mateus do Sul
Educa Mais Brasil: abertas as inscrições para bolsas de estudo no Paraná
Prefeitura de São Mateus do Sul oferece oficinas gratuitas de violão

Deixe seu comentário

*