Histórias de Terra e Céu

Brinquedo antigo…

Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

Imagine que você está mexendo num baú antigo e encontra algo que você não via há anos… Pode ser um livro velho, um diário ou um brinquedo antigo… E quanto mais fundo for o baú, maior a chance de você encontrar uma surpresa. Agora imagine que seu baú tem 380 mil quilômetros de profundidade… Foi mexendo em um baú destes que cientistas encontraram um brinquedo antigo, recentemente… Embarque comigo nesta história!

Após a Segunda Guerra Mundial, americanos e soviéticos disputaram a chamada “corrida espacial”. O objetivo de cada país era colocar o homem na lua antes da outra potência. E nessa corrida, os soviéticos pareciam muito à frente dos americanos. Fabricavam os melhores foguetes, colocaram a primeira nave a orbitar a Terra, puseram o primeiro ser vivo no espaço, depois o primeiro ser humano, a primeira mulher etc… Mas aí, quando a vitória parecia certa, os americanos conseguiram o maior feito: colocaram o primeiro homem na lua em 1969.

O impacto foi muito negativo para o programa espacial soviético. Tanto que os americanos colocaram astronautas em nosso satélite mais cinco vezes até 1972, e os soviéticos não conseguiram colocar ninguém lá. Após a metade da década de 70 a Lua foi praticamente abandonada. Os programas espaciais tripulados eram caros, e as duas potências preferiram competir criando guerras em países do oriente.

Mas agora, após mais de 40 anos, cientistas lembraram de “brinquedinhos” esquecidos na lua. Entre eles um robô-explorador russo chamado Lunokhod 1 (foto). Acontece que o robô tem um painel retrorefletor laser, que era usado para refletir raios enviados da Terra e fazer experiências. Sabendo disso, pesquisadores da Universidade da Califórnia enviaram agora um sinal de laser para a região da lua onde o robozinho abandonado estaria. E para surpresa deles, o sinal retornou com alta intensidade.

O pesquisador Tom Murphy conta: “Iluminamos a posição do Lunokhod 1 e ficamos simplesmente maravilhados com a potência do sinal refletido. É como se o robô conversasse conosco, alto e claro!”. Com estes experimentos de envio e recebimento da luz os cientistas podem medir com precisão a distância da Terra-Lua, e assim estão confirmando que o nosso satélite se afasta de nós cerca de 3,5 cm por ano. Além das medições de distância entre os dois objetos, os pesquisadores usam as medições lunares para testar a Teoria da Relatividade Geral de Einstein. Segundo a teoria, objetos de grande massa como a Terra ou a Lua produzem uma deformação em forma de curva no espaço-tempo ao seu redor e é essa curva que rege o movimento desses corpos. A curvatura do espaço-tempo também empurra a Terra e a Lua em direção ao Sol.

Vamos seguir acompanhando os cientistas brincando com o “novo brinquedo velho” e veremos que novidades trarão para nós. E aproveito para desejar que o novo ano seja para você tão gostoso quanto encontrar um brinquedo antigo, trazendo grandes e abençoadas emoções!

Até 2016 e céus limpos para todos nós!

Gerson Cesar Souza
Últimos posts por Gerson Cesar Souza (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
A Grande Descoberta
O Pernambucano Voador
Bruno Filgueira, um azarado que “descobriu” São Mateus do Sul