Espaço do Leitor

Cada um nasce do seu jeito

Muitos homens falando de amor e poucos sabendo amar, muitos falando de ódio sem saber o porquê odiar. O homem deveria ter um pensamento racional, mais muitas vezes esquece ou nega essa ação, é incrível acreditar ou entender que um ser possa sentir desprezo e nojo de outro apenas por esse outro ter uma orientação sexual diferente. Nada é igual, nem mesmo as águas que correm num rio em ciclo vicioso nunca serão as mesmas, ninguém é igual. Cabe a cada um poder fazer suas escolhas, mas neste caso é diferente, um ser que possui uma orientação sexual diferente da maioria não escolhe passar por isso, afinal quem escolheria não poder sair na rua por medo do preconceito, quem escolheria ser discriminado por ser o que é? Ninguém escolheria!

Alguns filósofos diziam que o homem a partir da hora que nasce é uma folha em branco e são suas escolhas que vão preenchendo essa folha, mas esta teoria não pode ser válida, uma criança, por exemplo, se ela fosse como uma folha em branco, a partir da hora que ela assistisse um beijo (sendo este heterossexual ou homossexual) ela seguiria isto como se tivesse que seguir ordens e isso não é o que acontece na nossa realidade. Certa vez perguntaram a um Youtuber gay (Youtuber é aquela pessoa que produz vídeos para o YouTube, um site que permite que seus usuários publiquem vídeos) “o que ele achava que aconteceria se uma criança assistisse aos seus vídeos e visse dois homens se beijando”, ele com indignação os respondeu “NADA” e em seguida completou “eu quando era pequeno vi muitos casais heterossexuais se beijando na minha frente e nem por isso hoje em dia eu beijo mulheres”. Aí uma das muitas provas de que sua orientação não pode ser influenciada.

Muitos quando tocam no assunto sobre orientações sexuais rapidamente dentro de si disparam um alarme de preconceito e hipocrisia, tratam pessoas LGBT’T como se fossem animais irracionais, como se fossem superior a esta “RAÇA”. Muitos destes hipócritas (que dizem não gostarem de LGBT’T, mesmo sem entender do assunto) se pudessem deixariam estes isolados em uma ilha, como se fossem condenados e tivessem que pagar pelo seu “erro”. Mas como dizia Platão “homem nenhum é uma ilha para ficar sozinho”, ninguém nasce para ser isolado.

Na opinião dos outros a melhor teoria a ser usada é a de Martin Heidegger, para ele nós somos lançados no mundo, sem escolher como seremos e com quem nos relacionamos. Uma pessoa dita por uma sociedade hipócrita como anormal (no caso os LGBT’T) ela já nasce assim, não tem uma escolha, é a essência dela, é aquilo que nasce com ela e ninguém pode negar ou discutir. É como a questão de identidade de gênero, um homem com corpo masculino que se sente mulher, ele é, acabou. É a essência dela e ninguém pode dizer ao contrario, cada ser tem a sua condição humana, cada um nasce do seu jeito, com o seu traço.

Como tudo é movimento ao longo da história, a cabeça do homem vem sendo mudada. Ele vem buscando conhecimento e com isso tentando ficar cada vez mais crítico. Mas muitos ainda não conseguiram evoluir, como diria Platão, não conseguiram sair da caverna, caverna esta repleta de intolerância e hipocrisia, muitos estão vivendo em cavernas mais conhecidas como igrejas, onde estão deixando de viver por si, de viver pela razão e recorrendo cada vez mais pela religião. As igrejas pregam cada vez mais por pensamentos homofóbicos, um deles é de que se sua orientação sexual dita como anormal, você estará indo contra o seu deus e terá que “pagar” por isso. Ao fazer isso ela aumenta cada vez mais o número de pessoas que dizem não gostarem de pessoas LGBT’T mesmo sem saber a fundo o assunto. Os que se dizem preconceituosos, muitas vezes falam de LGBT’T sem mesmo saber o que significa a sigla LGBT’T (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais e Transgeneros), julgam, achando que sabem mais, sem mesmo se quer entender o que passa na cabeça de tal. Muitos LGBT’T também não sabem o que se passa na sua cabeça, é extremamente complicado se expressar ou até mesmo contar para alguém, é difícil alguém conseguir contar o que está sentindo a outro se nem ele mesmo entende, é difícil contar e enfrentar uma resposta que muitas vezes pode ser negativa, é difícil enfrentar o medo de se expor a uma sociedade que te vai jugar por você ser quem você é. Uma sociedade a qual acha que se você gosta de uma pessoa do mesmo sexo, você está apenas pensando em ter relações sexuais com o outro. Mas como na frase de Tine Cooper do livro Will e Will, a essência já está em você desde bem antes, antes de você namorar, beijar, saber o que é sexo, antes mesmo de você crescer. Você já nasce assim e ninguém, nem mesmo você, pode mudar isso. A sociedade trata os LGBT’T como se fossem nada, mas precisamos lembrar que até nada já é alguma coisa.

O erro de muitos LGBT’T é não se conhecer, é insistir em ficar dentro da caverna, é negar a si mesmo a sua existência e negar a sua essência, negar por medo, o medo do julgamento de todos, medo de todos aqueles que ainda não conseguem pensar por si só e permanecem dentro da caverna. Enfim, por dentro eu até penso que essa situação possa mudar (melhorar), mas por dentro, “só sei que nada sei”.

Artigo escrito pelo leitor William Ribeiro

Quer publicar o seu texto? Entre em contato conosco! É GRATUITO!

Redação do jornal Gazeta Informativa

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Tornei-me verão quando você chegou
O que aprendemos com O Número Zero?
Chega de enrolação, queremos a inauguração!

Os comentários estão fechados