Administração e Negócios

Cadeia de geração de valor

Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

Em qualquer empresa a geração de valor deve acontecer como consequência das suas atividades, mas o que diferencia umas das outras é a ênfase e o tratamento empregado na forma em que o valor será gerado, para que se tenha uma vantagem competitiva.

Dentro do conceito empresarial podemos definir a cadeia de geração de valor como o conjunto de atividades exercidas em uma organização, que se inicia nas fontes de matéria-prima básica, passando pelas etapas de produção e venda, até a distribuição final.

Para uma boa geração de valor, a empresa depende de uma boa capacidade de eficiência e eficácia, pois enquanto uma certa quantia de valor está sendo gerada a cada fase do processo produtivo, custos também estão sendo gerados nessas mesmas fases, visto que é necessário o emprego de recursos para que ocorra a transformação, seja ela de matéria-prima em produto semiacabado, de produto semiacabado em produto acabado, ou de matéria-prima em produto acabado. Saber exatamente qual é a fase, ou atividade que mais fomenta os custos é essencial para que ela seja otimizada da melhor forma possível.

Para entendermos como ocorre a geração de valor, imaginemos uma empresa que fabrica camisetas. Como matéria-prima a empresa em questão compra tecidos que são fornecidos em grandes rolos, portanto, essa primeira etapa ainda não gerou valor agregado, agora é preciso submete-lo ao processo de transformação.

Em uma segunda fase, o tecido passa pelo processo de corte, onde a utilização de recursos, tanto materiais quanto humanos, passam a agregar certo valor ao produto que está sendo produzido. Suponhamos que a empresa resolva vender o tecido cortado já no formato de camiseta para outra empresa, logicamente a venda do tecido cortado será por um valor maior do que o valor pago pelo tecido em rolo, pois a etapa de corte agregou valor.

Em uma terceira fase, após sair da atividade de corte, o tecido passa pelo processo de costura, e quando finalizado, o valor do produto que ainda está em fabricação, obrigatoriamente já deve ser maior do que valor apresentado ao término da atividade de corte. Mais uma certa quantia de valor foi agregado ao produto. Após, a camisa agora costurada passa para a atividade de estampagem, onde recebe também mais uma certa quantia de valor, e na sequência passa pelo acabamento, onde são etiquetadas e embaladas, prontas para a venda e distribuição.

É imprescindível que além de uma boa gestão de custos, a cada nova etapa seja assegurada a qualidade que o produto final deverá ter. A qualidade é necessária para que o cliente perceba o valor presente no produto e não tenha o preço final como obstáculo na hora da compra.

Na prestação de serviços segue-se o mesmo raciocínio, pois para que o mesmo seja executado por completo, uma série de operações são necessárias, e são essas operações que devem justificar o valor final do serviço.

Vale lembrar que uma empresa só será rentável se o valor percebido pelo cliente for superior ao valor empregado para a criação, seja de um serviço ou produto.

Nos encontramos na próxima edição! Bons Negócios.

Últimos posts por Eleandro Soares (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Produto “estrela” ou “abacaxi”, qual deles predomina em sua empresa?
Preço e Valor não se confundem, mas se completam
Cargos, salários, remuneração e carreira