Coletiva de imprensa realizada na Câmara de Vereadores. Da esquerda para direita: Presidente da Câmara Nereu Edmundo Dal Lago e advogado da Câmara Wellington Alves Farias. (Fotos: Cláudia Burdzinski/Gazeta Informativa)

Após a repercussão gerada na Câmara de Vereadores de São Mateus do Sul na última semana, em coletiva de imprensa realizada na manhã de terça-feira (13), o presidente da Câmara e vereador, Nereu Edmundo Dal Lago, anunciou a volta do número de 13 vereadores no município, porém apenas para a próxima eleição. Atualmente a Câmara conta com 9 vereadores e a mudança seguirá a resolução de 11 de novembro de 1995.

“Não estou impondo nada, apenas cumprindo a legislação do nosso município”, destaca Nereu. O vereador também explica que pelo número de habitantes do município, a quantidade de 13 vereadores é a recomendada para a proporção de moradores.

Em conversa com o departamento jurídico da Câmara e por recomendação do Ministério Público, os quatro candidatos que estavam de suplentes (Djenane Fayad, Edu da Rádio, Walter Przyvitkowski e Irineu Macuco) não poderão assumir o cargo nesta legislatura. A validade das 13 cadeiras será para as eleições de 2020.

A equipe da Câmara também afirmou que nos próximos dias estará realizando o impacto financeiro que os 4 novos vereadores gerarão. Hoje um vereador recebe mensalmente R$ 6.600,78. “Penso que com mais vereadores São Mateus do Sul só tem a ganhar com novas ideias e projetos para as comunidades do município, colaborando com a melhora do legislativo”, enfatiza Nereu. A presença política com apoios de deputados e verbas destinadas ao munícipio também foi algo destacado pelo vereador.

Nereu esclarece que a Câmara é um órgão independente e o recurso de pagamento não incide em retirar verbas da Prefeitura Municipal, como as destinadas à saúde e infraestrutura. “Dentro dos recursos destinados à nós – garantido pela Constituição Federal –, a Câmara tem direito de até 7%. Atualmente a utilização é de 2,6%.” Mensalmente a Câmara recebe em torno de R$ 309 mil, com despesas variadas entre R$ 140 e R$ 150 mil. Os valores que restam são destinados à Prefeitura no fim do ano.

A câmara informa que nas eleições de 2020, quatro novos vereadores somarão às cadeiras do legislativo municipal.

Descontentes com a coletiva de imprensa, alguns moradores utilizaram das redes sociais para manifestarem a sua opinião, contrária à menção do vereador. “Também é função de um vereador propor leis e modificá-las”, enfoca um morador, que faz a cobrança da mudança da resolução de 1995.

Os são-mateuenses também informam a falta de visibilidade de ações realizadas por alguns vereadores, que impactam financeiramente a cidade. “Alguns não estão preocupados em atender as necessidades do povo”, expressam.

Na sessão da Câmara realizada na última terça-feira (13), o vereador Jackson Machado protocolou um projeto de emenda modificando a lei orgânica municipal, alterando a redação do artigo 10° e fixando para 9 o número de vereadores. Seguindo o regimento, Jackson aguarda a resposta de mais dois vereadores interessados em assinar o projeto para seguir em votação, caso contrário, o projeto perde a validade.

CHARGE

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Justiça Eleitoral promove testes de votação das urnas utilizadas na 12ª Zona Eleitoral no processo eleitoral
Luiz Adyr pretende retornar à prefeitura
Percentual de desconto para previdência sobe em agosto para servidores