Jornal de São Mateus do Sul (PR) e região

Câmara dos Vereadores aprova financiamento para a construção da nova Prefeitura Municipal

Foto: Jacob Jonson Portela/Gazeta Informativa

Na última quarta-feira (23), na sessão extraordinária da Câmara dos Vereadores de São Mateus do Sul, com a presença de todos os vereadores na casa, aconteceu a votação final do projeto 041/2017 do Executivo Municipal, afim de decidir a construção da nova prefeitura.

A votação neste tipo de ocasião é realizada em duas sessões. A lei foi apresentada à Câmara e lida nas correspondências da sessão ordinária de segunda-feira (21), com pedido de urgência para a votação extraordinária realizada na terça-feira (22) e quarta-feira (23).

Este projeto trata do empréstimo junto à Fomento Paraná para construção do novo prédio do Paço Municipal, que inicialmente seria voltado para investimentos na área urbana e teve o objeto modificado de pavimentação de ruas e melhorias em praças e reforma do Ginásio de Esportes Olívio Wolff do Amaral (Polacão) para a construção da nova prefeitura, a pedido do prefeito Luiz Adyr Gonçalves Pereira.

Com apenas três votos contra a mudança do projeto original (vereador Omar Pichet e vereadoras, Fernanda Sardanha e Marta Regina Centa), o financiamento foi aprovado.

Em sua fala a vereadora Marta lembra, “estão mudando o objeto original do projeto, estão anulando e mudando algo que já estava decidido”. Quando é solicitado com urgência, o projeto não pode conter pedido de vistas (adiar a votação do projeto para análise). Originalmente apresentado pelo atual prefeito à Câmara, o projeto conta com investimentos buscados juntos com a Agência de Fomento do Paraná, destinados à manutenção do município.

As perguntas que mais são realizadas são, de onde será construída a nova prefeitura e o que será derrubado ou levantado para que o projeto se torne realidade. A intenção é derrubar um dos prédios da atual prefeitura para que uma nova seja construída no mesmo local. “A realidade é essa, não tem que esconder nada”, explica o vereador Nereu Edmundo Dal Lago. “O prefeito deve fazer uma dívida pagável e caso contrário terá que se responsabilizar perante o Ministério Público. Mas acredito que nosso prefeito tem capacidade e conhecimento suficiente para mandar esse projeto de lei, coube a nós a alteração e nós alteramos”, conclui.

Projeto

O projeto original 012/2017, apresentado em abril, caracterizado com o objeto de pavimentação de ruas, praças e ginásio tornou-se mutável. Três meses depois, em agosto, o prefeito apresenta o projeto 041/2017, revogando assim o projeto número 012/2017, para que o empréstimo de três milhões se destine a construção de uma nova prefeitura.

O que dizem os são-mateuenses

A população procurada pela vereadora Marta nas redes sociais, mostrou-se 99% contra o projeto. Definindo nas suas reivindicações a urgência na pavimentação do centro e bairros e a situação apertada de algumas escolas.

“Acho desnecessário uma prefeitura nova, tem que investir na área da saúde, a população precisa disso”, “primeiro as prioridades do município, depois que estiver tudo nos conformes as ruas sem buracos aí sim se pensa em mordomias”, são alguns dos comentários de cidadãos que aparecem na internet.

Resta agora que a população acompanhe o andamento do projeto para saber como e quando suas reivindicações serão atendidas.

O que diz a prefeitura

Em São Mateus do Sul, foi apresentado no dia 13 de julho, nas dependências do Centro da Juventude, em audiência pública o destino de recursos obtidos pela prefeitura junto ao governo do Estado. A audiência pública é uma formalização para obtenção dos recursos junto a Agência de Fomento do Paraná, recursos estes que a prefeitura solicitou e obteve recentemente sua confirmação.

O recurso pode ser para qualquer obra pertencente a prefeitura. Lembrando que não pode ser instituída para o Hospital e Maternidade Doutor Paulo Fortes (entidade filantrópica), que não pertence a prefeitura municipal.

O prefeito Luiz Adyr, comentou sobre a obtenção dos recursos, da ordem de R$ 3 milhões. Destacou que apesar do município ter uma capacidade de endividamento bem superior a esta quantia, e a solicitação ter sido bem maior, o governo no momento dispunha desse montante para liberar, visto que muitos municípios pleitearam recursos também.

Uma das grandes necessidades da prefeitura municipal é espaço para condicionar suas secretarias, que hoje estão distribuídas por diversos edifícios alugados. Portanto um destino dos mais necessários para este recurso. Também preza pelo conforto de funcionários municipais para o desenvolvimento de suas atividades.

Este recurso será aplicado totalmente na construção do novo edifício que abrigará a prefeitura, e será pago em 96 parcelas dentro do financiamento realizado, tendo 12 meses de carência para iniciar seu pagamento. Esse tipo de recurso obtido, como explicou o prefeito, é apenas para construir edifícios da própria prefeitura e uma das principais demandas são locais próprios para suas secretarias. A nova prefeitura abrigará um edifício de 7 pavimentos, sendo um subsolo de garagem, uma bela praça e também um auditório para 250 pessoas.

Redação

Redação

Redação do jornal Gazeta Informativa
Redação
Compartilhe esta reportagem...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Print this page


Comentários: