Máquina do Tempo

Carta de despedida aos leitores

Historia est Magistra Vitae (História é a Mestre da Vida, Cícero).

Caros leitores, é com um misto de tristeza e alegria que escrevo minha coluna dessa semana. Talvez, alguns tenham percebido ou sentindo falta da minha coluna em algumas edições anteriores do jornal. Pois é, com novos projetos em andamento para o ano que vem, entre eles, o último ano de minha graduação e a realização de meu trabalho de conclusão de curso (o temido TCC), junto a isso, minha recente contratação por uma Editora de livros didáticos, meu tempo tem sido escasso, tanto para a pesquisa quanto para a escrita de minha amada coluna “Máquina do Tempo”. Penso que quando realizamos alguma coisa, devemos nos dedicar ao máximo, a fim de fazê-la com exímio desempenho. Do contrário, nos é necessário fazer algumas escolhas, pois quando queremos abraçar o mundo, deixamos a desejar naquilo que empreendemos. Portanto, é com um aperto enorme no coração que eu não publicarei mais a coluna “Máquina do Tempo”, semanalmente. Contudo, em conversa com a equipe do jornal, me propus a ser uma eterna colaboradora da Gazeta Informativa. Assim sendo, vocês ainda verão meu nome por aqui, vez ou outra, publicando conteúdos sobre uma das coisas que mais amo na vida, a História.

Ainda, gostaria de aproveitar esse espaço para agradecer a todos aqueles que colaboraram comigo durante esse percurso incrível de um ano e um mês publicando meus textos. Principalmente, agradecer ao jornal Gazeta Informativa pelo espaço que me foi concedido e pela confiança em meu trabalho. Esse trabalho me permitiu conhecer pessoas incríveis e fazer amizades que vou levar para o resto da vida. Entre elas, a competentíssima equipe do jornal: Thaís, Cláudia, Alexandre e os demais envolvidos. Obrigado por tudo e principalmente pela parceria queridos. Também gostaria de agradecer aos membros do Instituto Histórico e Geográfico de São Mateus do Sul, que compartilharam comigo seus conhecimentos e pesquisas para que através da coluna, tudo isso pudesse chegar até vocês leitores. E por último, mas não menos importante, agradecer imensamente a vocês leitores, que com muito carinho me receberam de braços abertos em suas casas toda semana, principalmente aqueles que dedicaram uns minutinhos de seu dia para a leitura de algumas linhas sobre História. Viver é um aprendizado, e escrever a coluna “Máquina do Tempo”, foi acima de tudo, um grande aprendizado para mim, profissional e pessoal. Na próxima e última edição do jornal deste ano, e na minha última coluna também, trarei um conteúdo especial sobre o que foi para mim, a menina dos olhos nesse período de “Máquina do Tempo”: a participação dos soldados são-mateuenses na Segunda Guerra Mundial. Essa, foi sem dúvida, a minha pesquisa mais engajada e inédita, que teve uma repercussão enorme e positiva do público frente a esse resgate histórico. Portanto, para encerrar com chave de ouro, farei um apanhado daquilo que ficou de fora das colunas nas minhas pesquisas. Hoje fico por aqui, até a próxima viagem pessoal, lembrando que, esse não é um adeus, mas sim, um até logo!

Acadêmica de bacharelado e licenciatura em História pela UFPR (2015), membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Mateus do Sul (2016), e atua como monitora no Museu Egípcio e Rosacruz de Curitiba (2016). Mesmo sendo sua área de pesquisa a História Antiga, é apaixonada pela História Regional.

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Mulheres também vão a Guerra
Quando a História vira cinzas
A história dos rótulos de Erva-Mate

Os comentários estão fechados