Especial

Casa de Passagem São Vicente de Paula conta com o apoio da comunidade para a sequência do trabalho

A Casa de Passagem São Vicente de Paula precisa da colaboração dos são-mateuenses para dar continuidade aos serviços prestados à comunidade. Na foto da esquerda para a direita, Ivone Maria Tomczik Nadolny, e ao seu lado, Elizia Brasil. (Foto: Alexandre Müller/Gazeta Informativa)

A Casa de Passagem São Vicente de Paula de São Mateus do Sul, lançou o edital de convocação de assembleia geral ordinária para a escolha de sua nova diretoria. A equipe vem enfrentando problemas com a falta de participação da comunidade no compromisso de colaborar com a gestão da entidade.

Hoje presidida pela voluntária Ivone Maria Tomczik Nadolny e pela vice-presidente Elizia Brasil, a Casa de Passagem chega pela segunda gestão seguida, ao processo de definição de sua estrutura administrativa legal que acontece no próximo dia 17 de julho. Eles sofrem com a ausência de cidadãos que possam colaborar com a entidade. As voluntárias relatam estarem cansadas devido à idade, e convidam a comunidade para colaborar com as atividades da Casa de Passagem.

A entidade nasceu em 2012, mediante a grande necessidade do município em possuir uma entidade que pudesse colaborar com aquelas pessoas que necessitavam de um local para pernoitar, fosse por motivo de residir no interior e ter de ir à Curitiba e outras cidades para consultas e exames médicos, ou para aquelas pessoas que não possuíam recursos para arcar com as despesas de hospedagem e estivessem de passagem por nossa cidade, consolidando-se a Casa de Passagem São Vicente de Paula.

A instituição passou a existir no local onde antes situava-se o albergue municipal, o qual as voluntárias não sabem precisar a data exata de sua existência, mas que deixou de funcionar no ano de 2007. Ao longo dos anos o espaço foi abandonado pelos colaboradores que eram os responsáveis, ficando durante anos com sua estrutura fechada.

Em 2012 foi consolidada uma entidade filantrópica sem fins lucrativos junto aos membros do conselho paroquial da Paróquia São Mateus, e Elizia assumiu a responsabilidade a pedido do ex-pároco da Paróquia São Mateus, Silvano Surmacz. A voluntária assumiu depois de 6 meses à procura de alguém para estar à frente da presidência. “Assumi pois ninguém queria ter essa responsabilidade. Aceitei o convite e dali em diante iniciei uma jornada para deixar tudo funcionando, como correr atrás de colchões, jogos de cama, alimentos, etc.”, diz.

Elizia conta que a pedido do padre Silvano, em 2013, por ocorrência do período de muito frio e inclusive neve em São Mateus do Sul, a Casa de Passagem passou a servir refeições para os moradores de rua, além de colaborar com agasalhos e cobertores, atividade essa que é desempenhada até então.

Já em 2014, no término da primeira gestão administrativa, novamente houve grande dificuldade para se encontrar pessoas para colaborar, e a responsabilidade da presidência da instituição passou a ser de Ivone, que já fazia parte do grupo, enquanto Elizia assumiu a vice-presidência.

“As atividades desempenhadas pela diretoria são de cunho voluntário, assim como em outras entidades”, afirmam as voluntárias que ainda elencam que a entidade possui duas funcionárias que recebem um salário arcado através de convênio firmado junto à Prefeitura Municipal. Elas trabalham 12 horas e folgam 36, registradas pela Associação das Vicentinas.

A Casa de Passagem realiza inúmeras ações e eventos para angariar recursos a fim de suprir todas as necessidades. As arrecadações são destinadas a uma poupança de segurança. Já no dia 6 de agosto, será realizado um bingo no Salão Comunitário da Vila Americana com o intuito de arrecadar capital.

As voluntárias enaltecem o empenho de várias empresas são-mateuenses que colaboram semanalmente com a doação de frutas, legumes, carnes e alimentos em geral, que são destinados ao atendimento de cerca de 44 pessoas diariamente, entre refeições e estadias. Eles também contam com parceria da Paróquia São Mateus que cede o espaço e arca com as contas de água e luz.

Em relação às demandas da associação, as voluntárias relatam que hoje necessitam de um fogão industrial maior para atender à necessidade das refeições, além de um armário para os alimentos e um específico para os objetos das pessoas que pernoitam. Uma das maiores necessidades da entidade é um sistema de segurança, com câmeras para a seguridade das pessoas que pernoitam na entidade e dos próprios funcionários.

Os interessados em colaborar tornando-se um membro da diretoria voluntária podem comparecer no dia 17 de julho (terça-feira), na Casa de Passagem, localizada na Rua Tenente Max Wolff Filho, nº 506, às 14h. Também é possível procurar seus representantes através dos seguintes contatos: (42) 9 8836-1050 ou 3532-1739.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
#SomosTodosCompatíveis: a história de Vicente com a Síndrome do Amor
275 picadinhas de amor
Adote um animal de estimação