Educação e Cultura

Casa Familiar Rural de São Mateus do Sul vence fase regional do prêmio “Respostas para o Amanhã”

Iniciativa contemplada trabalha a utilização de frutas nativas, oportunizando a geração de renda e alimento para a agricultura familiar. (Fotos: Arquivo/Casa Familiar Rural)

Iniciativa contemplada trabalha a utilização de frutas nativas, oportunizando a geração de renda e alimento para a agricultura familiar. (Fotos: Arquivo/Casa Familiar Rural)

A Casa Familiar Rural (CFR) de São Mateus do Sul é a representante do Paraná na fase final do Prêmio Respostas para o Amanhã, promovido pela empresa Samsung com coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec). Nesta primeira etapa, a instituição concorreu com outros 342 projetos de todo o Brasil, sendo a vencedora da etapa regional com o projeto “Da Horta Mandala a Agroindústria Familiar: Saberes e Sabores do Campo”, patrocinado pela Petrobras e Governo Federal. Agora, ela é a única representante paranaense entre as vinte finalistas.

O prêmio é resultado do desafio que motivou jovens de todo o Brasil a responderem “como a Matemática e as Ciências podem melhorar a sua comunidade?”. Amparados pelos conhecimentos adquiridos nas aulas de Biologia, os jovens desenvolveram ações interdisciplinares, com objetivo de incentivar a preservação de árvores frutíferas nativas a partir do estudo de sua fisiologia, de sua classificação botânica, do modo de cultivo de cada planta, bem como sua utilização, promovendo subsídios para que este conhecimento seja aplicado na propriedade juntamente com as famílias.

Em sua 2ª edição, o Prêmio “Respostas para o Amanhã” tem por objetivo estimular os jovens a investigarem suas comunidades e a elaborarem projetos que apresentem soluções simples para melhorar o lugar onde vivem, conectando os conteúdos das áreas das Ciências da Natureza e da Matemática a questões do mundo contemporâneo.

A experiência na CFR foi orientada pela professora da disciplina de Biologia, Gisela Bueno Lazzari, e desenvolvida de forma interdisciplinar com os alunos do 2º ano e com participação do 1º ano do Curso Técnico em Agroecologia. A Casa Familiar recebeu como prêmio um notebook e uma câmara fotográfica profissional de 20,3 MP.

“Contamos com uma diversidade considerável de árvores frutíferas nativas, que são pouco aproveitadas. Com a capacitação para cuidados no manejo, colheita e pós-colheita, além de técnicas de processamento e armazenamento dessas frutas, é possível aumentar a utilização destes recursos nativos”, destaca Gisela. Por meio do projeto Saberes e Sabores do Campo, a escola, a família e a comunidade podem atuar juntas em busca de soluções práticas para geração de renda e sustentabilidade da agricultura familiar.

“Além do prêmio, a maior conquista foi o reconhecimento do trabalho dos estudantes e da Casa Familiar Rural, a qual vem há muito tempo lutando por uma educação de qualidade, principalmente para o jovem do meio rural. Agora vamos torcer para sermos reconhecidos na fase nacional”, destaca a estudante Heloise Bianeck Chagas, participante do projeto.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Casa da Memória recebe exposição em homenagem à imigração polonesa
Jovens do grupo de dança do Centro da Juventude são destaques em festivais de dança
Família vai até a escola na segunda fase do projeto “Minuto da Sabedoria”