A moradora monta os enfeites há 30 anos. (Fotos: Cláudia Burdzinski/Gazeta Informativa)

Há quem diga que o Natal é a época mais mágica do ano. O clima de confraternização e a alegria da chegada do fim do ano resulta em festividades, enfeites e muito amor para ser compartilhado. Edvirges Stukowski Murawski reside na comunidade do Espigãozinho, interior de São Mateus do Sul, e há 30 anos enfeita toda sua casa com pisca-pisca e demais decorações natalinas. Quem passa pela casa nas noites de dezembro insiste em parar para registrar em fotografias toda a dedicação da moradora. Há quem diga que ali acontece o Natal de Luz são-mateuense.

A residência está localizada próxima de uma curva, e já de longe é possível ver toda a iluminação cheia de detalhes. No lado de fora da casa há dezenas de pisca-piscas espalhados pelo telhado, em árvores e até na antena parabólica. “Mesmo que alguns funcionem pela metade, eu sempre coloco”, garante a moradora enquanto ligava as luzes. Tudo é muito colorido e faz com que a comunidade e visitantes se encantem por cada cantinho. “Minha vizinha tem um ‘piázinho’ e toda noite eles vêm até aqui para olhar as luzes. Difícil é ir embora”, conta.

Não é só do lado de fora que o clima de Natal se faz presente. Na sala de estar a magia também acontece com ainda mais detalhes. Os porta-retratos das gerações da família dividem espaço com as luzes penduradas em preguinhos. Nas estantes, as coleções de pedras e anjinhos dividem espaço com alguns presépios montados especialmente para essa data. No telhado, grandes estrelas estão suspensas simbolizando a noite natalina. “Faço questão de todo ano arrumar dessa forma. Me sinto feliz vendo as pessoas encantadas com a minha casa e vindo me visitar”. As luzes ficam acesas até 23h, depois disso, a moradora toma o cuidado de desligá-las por segurança.

A neta Lillian Kely Murawski passou a infância observando Edvirges montar sua decoração. Hoje ela se orgulha em mostrar para os seus amigos todo a dedicação da avó. “Me sinto tão bem ao ver a alegria dela. É tão gratificante ver que ela ama as pessoas falando e admirando suas luzes e decorações de Natal. A cada ano que se passa vejo o quanto é importante todo esse trabalho. Cada detalhe, cada ponto de luz, cada sorriso que ela recebe ao verem sua casa toda iluminada. Amo fazer parte dessa alegria.”

Paixão por colecionar

Nascida na localidade do Rio do Meio, próximo à Água Branca, Edvirges sempre foi uma apaixonada por colecionar objetos. Para ela, o mais importante que ela guarda até hoje é o moedor de carne que pertenceu a sua mãe que ainda é utilizado. Em todos os cantos da casa é possível encontrar partes de sua coleção como potinhos de vidro e anjinhos de cerâmica. “Eu zelo pelas coisas. Aqui é tudo muito simples mas muito bem cuidado.”

A paixão por colecionar também é visível em seu jardim, repleto de flores coloridas e de diversas espécies. “Sabe, é isso tudo que me deixa feliz e animada para acordar no outro dia”, afirma.

Cláudia Burdzinski

Cláudia Burdzinski

Estudante de Jornalismo que adora escrever e conhecer um pouco sobre a vida e a história de cada pessoa envolvida. Preza pela essência que é repassada na produção de cada matéria, valoriza os pequenos gestos e apoia o ativismo ambiental. E-mail para contato: claudia@gazetainformativa.com.br
Cláudia Burdzinski

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
A originalidade da arquitetura são-mateuense – Parte I
Do Armazém Central às Lojas Leonardo: a história do comércio da família Staniszewski
Grupo de São Mateus do Sul viaja mais de 12 mil quilômetros

Deixe seu comentário

*