Geral

CDL realiza reunião para discutir melhorias na área de segurança pública

Fotos: Thaís Siqueira/Gazeta Informativa

Fotos: Thaís Siqueira/Gazeta Informativa

A população e principalmente os comerciantes de São Mateus do Sul estão preocupados com a onda de furtos, roubos e assaltos que têm ocorridos nos últimos meses no município. Além de gerar medo e bastante preocupação, estes acontecimentos podem gerar prejuízos e impedem o crescimento das empresas, consequentemente, do município. Por conta disso, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) realizou uma reunião na terça-feira, dia 1º de setembro, às 19h, no auditório da CDL, com diversas autoridades, que teve o objetivo de reunir os diversos setores representativos da sociedade para entender as dificuldades enfrentadas pela Polícia Civil e Militar e pautar ações que possam contribuir com o trabalho e eficácia dessas instituições e identificar possíveis soluções para evitar que novos crimes continuem acontecendo.

Além de representantes e colaboradores da CDL, do Conselho de Segurança (Conseg), do Conselho da Mulher Empresária, da Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de São Mateus do Sul (ACIASMS), participaram do encontro, o Secretário de Administração, Marcos Aurélio Justi, que representou o Prefeito Clovis Ledur, que não pode comparecer; o vereador Antonio Wilson Waligurski – Bira -; representando a Polícia Militar, o Aspirante OF. PMPR, João E. C. Vaz e representando a Polícia Civil, o delegado Nagib Nassif Palma, além de empresários e imprensa.

De acordo com a presidente da CDL, Ingrid Ulbrich, o encontro foi explicativo e apontou caminhos. “A sociedade está passando por transformações e inicia o seu entendimento nas questões políticas e econômicas de nosso país e o seu papel de influência junto aos seus governantes. O grupo pretende dar força a equipe do Conseg e seguir na busca de concretizar ações pontuais e locais e em médio prazo discutir ideias junto aos governantes de nível estadual”, conta.

Ingrid frisa que a CDL entende que todos estão reféns da insegurança, porém a comunidade não deve simplesmente aceitar o seu sentimento de impotência frente ao problema. “Ela precisa ser ouvida para além das suas fronteiras por aqueles que deveriam ser os responsáveis de resolver essa questão, que no caso, são os eleitos deputados estaduais e o governador do estado do Paraná. Somos uma pequena parcela de um problema muito maior, quando observamos um estado falido que corta custos nos serviços a serem prestados à população e que deveriam ser subsidiados pelos impostos que todos pagamos. Simplesmente o exigir, trará como retorno o discurso político de que mais impostos deverão ser criados ou aumentados. E quem está disposto a permitir que esta forma de governar ganhe ainda mais poder? Acredito que ninguém. Nos encontramos em um círculo vicioso ilógico: exigimos mais do estado e ele nos tira cada vez mais para poder nos dar mais”, diz.

Conforme Ingrid, a CDL propõe uma mudança de perspectiva, “levar aos ouvidos dos nossos governantes, ideias de processos de gestão, utilizados pelo setor privado, onde a sobrevivência está ligada a eficiência no uso correto do dinheiro e, assim a carga do estado seja diminuída. Um exemplo disso é a privatização da administração dos presídios, hoje apontada como a principal deficiência do setor. Unindo-se a isto, a utilização da mão-de-obra disponível e não utilizada de seus ocupantes, os presidiários, para geração de receitas e desenvolvimento humano”.

Durante a reunião, o delegado de polícia Nagib disse que um dos motivos do aumento da criminalidade pode ser o número alto de desemprego, mas isso não é justificativa para tal ato. “Não podemos ser ingênuos sobre o que está acontecendo. A verdade é que estamos passando por uma crise econômica e isto está refletindo nas ruas. Infelizmente a criminalidade tem tendência a aumentar, por isso, devemos ter o máximo de cuidado”.

Nagib destacou que o trabalho de identificação dos malfeitores que realizaram os últimos roubos no município está sendo realizado com muita dedicação e que logo todos serão identificados e possivelmente presos. Além disso, comentou que a ideia da instalações das câmeras é um ótimo passo para diminuir a criminalidade que vem sendo praticada no município. “O investimento das câmeras ajudará muito. Não posso prometer que vai acabar a criminalidade por conta disso, mas garanto que as câmeras podem desmotivar boa parte dos bandidos a praticarem qualquer ação ilegal”.
Infelizmente, o secretário de administração, Marcos afirmou na reunião que a instalação das câmeras pode levar cerca de 60 dias para ficar pronta. Todos que estavam presentes no debate, prometeram cobrar e fiscalizar, até que a efetivação do trabalho de instalação seja concluído.

Trabalho do Conseg

Vale ressaltar o excelente trabalho que o Conseg vem fazendo para o município. Uma das ações que o Conseg realizou foi a entrega, na noite do dia 05 de agosto, durante um jantar, no Clube dos Empregados da Petrobras (Cepe), de uma reforma feita em um espaço da delegacia da 3ª Subdivisão de Polícia Civil, que se tornou uma cela feminina e também um espaço para menores apreendidos, onde contou com a presença de autoridades policiais, promotores públicos, membros do Conseg e dos empresários que colaboraram com a obra. Na referida confraternização, houve reiterados agradecimentos as pessoas envolvidas na realização desta obra, tanto pela presidente do Conseg, bem como pelas autoridades que marcaram presença no evento.

A reforma da cela foi realizada por iniciativa dos membros do Conseg de São Mateus do Sul, sendo eles, a presidente Genesi M. Nalin Bettanin, vice-presidente Telma Pelegrini Staniszewski, tesoureiro Moisés Felipe Ulbrich, vice-tesoureiro Hugo Lopes Junior, secretária Silvana Goll, vice-secretário Esaú Paul e os conselheiros Zirlei Cléber da Silva Barros e José Santana, contando também com a colaboração de doações de parceiros empresários da cidade.

A nova cela feminina consiste em um espaço para abrigar cerca de 6 (seis) pessoas, com banheiro e solário. O custo da reforma foi cerca de R$ 20.000,00 (vinte mil reais) o qual foi rateado entre os empresários.

Segundo a presidente do Conseg Genesi M. Nalin Bettanin, foi levantada em reuniões, a necessidade de reformar a cela feminina, que se encontrava em condições inadequadas e sem condições de uso. Para tanto, e a fim de solucionar este problema, o Conseg, buscou parceria com empresários do município, a fim de realizar esta obra.

Os empresários, preocupados com a segurança da cidade aceitaram o convite, e em reunião realizada com o delegado Nagib, com os representantes do Ministério Público, Dr.ª Fernanda Basso Silvério Bordignon e Dr.º Almir Carreiro Jorge Santos, se comprometeram em fazer a reforma, a qual foi realizada em regime de urgência e executada em 60 (sessenta) dias.

Últimos posts por Thaís Siqueira (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Confira o resultado final do concurso para a Prefeitura de São Mateus do Sul
Rua 21 de Setembro terá mais vagas para estacionamento
Voo de balão surpreende sãomateuenses