O Fórum Eleitoral de São Mateus do Sul salienta a utilização da ferramenta Gralha Confere, bastante interativa e pertinente no esclarecimento de dúvidas relativas aos assuntos eleitorais. (Foto: Éber Deina/Gazeta Informativa)

O Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), colocou em funcionamento o portal eletrônico Gralha Confere, uma ferramenta destinada ao esclarecimento de dúvidas e fake news (notícias falsas) sobre os principais assuntos eleitorais. Conforme informou a Gazeta Informativa, na edição de nº 270, o portal também disponibiliza os conteúdos, para que estes sejam replicados pelas diversas entidades que compõem a sociedade paranaense.

Os conteúdos selecionados, conforme a repercussão e interesse geral, serão checados e divulgados no site www.gralhaconfere.tre-pr.jus.br, nas redes sociais do Tribunal e nas páginas de mais de 40 organizações parceiras do projeto. A classificação das informações é realizada através dos critérios “Verdadeiro”, “Impreciso” ou “Falso”, sendo editadas via texto, áudio, cards e vídeos explicativos de até um minuto. Todo cidadão pode enviar o seu questionamento, através do contato de WhattsApp +55 (41) 8700-5100. Exerça a cidadania interativa você também!

Equipe multidisciplinar

O Desembargador Tito Campos de Paula, presidente do TRE-PR, comentou sobre a organização do Gralha Confere. “O projeto é construído por uma equipe multidisciplinar, composta por profissionais de várias áreas. A base é formada pela Comunicação Social, amparada pelo pessoal do TRE-PR. Cada um colabora tendo em vista a função desempenhada dentro do Tribunal, ajudando a esclarecer os questionamentos que surgirem”, explicou ele. A reportagem da Gazeta Informativa, em parceria com o Fórum Eleitoral de São Mateus do Sul, selecionou dois questionamentos bastante pertinentes, comentados abaixo.

(Banners: Tribunal Regional Eleitoral do Paraná)

É FALSO que hackers podem invadir a urna eletrônica

Este boato, provavelmente tem origem nos ataques programados realizados nos sistemas eleitorais, sob tutela do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Eles são realizados preferencialmente no ano que antecede a eleição, durante o chamado Teste Público de Segurança (TPS). O TSE é a primeira entidade no mundo a realizar esse tipo de teste, abrindo os sistemas eleitorais para que investigadores, devidamente inscritos, tentem violar as barreiras de segurança do processo de votação.

O Teste é um evento permanente do calendário eleitoral brasileiro, sendo sua realização determinada pela Justiça Eleitoral. Propõe a participação e a colaboração de diversos especialistas, na detecção de eventuais problemas e fragilidades do sistema. Já foram realizadas 5 edições, em 2009, 2012, 2016, 2017 e 2019.

É VERDADEIRO que a urna emite um boletim impresso dos votos

Cada urna eletrônica emite um comprovante físico do resultado da votação, chamado de Boletim de Urna (BU). Ele se trata de um relatório impresso pelos mesários que atuaram na seção, tornado público logo após o encerramento da votação. Qualquer cidadão pode conferir a quantidade de votos existentes em todas as urnas. Por sua vez, os partidos políticos acompanham a finalização da urna na seção, recebendo suas próprias vias impressas do boletim.

A publicação do BU na internet atende à Resolução TSE 23.611/2019, que dispõe sobre os atos preparatórios para o pleito de 2020. Esta publicação online deverá ocorrer em até 3 dias após o encerramento da totalização, em cada unidade da Federação. Os dados contidos no BU são os seguintes: total de votos recebidos por cada candidato, partido político, votos brancos, nulos, número da seção, identificação da urna e quantidade de eleitores que votaram na respectiva seção eleitoral.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Câmara aprova contas de 2017 e 2018 da prefeitura e libera crédito para estádio
Qual é a diferença entre o fundo eleitoral e o fundo partidário?
Médico e ex-vereador coloca seu nome na disputa pelo PTB