Cidade

Cohapar faz entrega de 25 casas rurais e dá início ao programa de regularização fundiária à são-mateuenses

451 famílias terão seus imóveis regularizados nas comunidades da Vila Bom Jesus e Vila Amaral. 25 famílias de agricultores receberam a chave de suas novas moradias, construídas dentro de suas propriedades e que lhes trarão mais comodidade e valorização. (Fotos: Gazeta Informativa e Assessoria PMSMS)

Na manhã de quinta-feira (7), centenas de famílias são-mateuenses lotaram o ginásio de esportes da comunidade da Vila Bom Jesus, junto aos representantes da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar) e membros da Prefeitura Municipal, para darem o ponta pé inicial na regularização de seus imóveis.

O evento simbolizou a assinatura do contrato de 451 famílias que residem em ocupações irregulares há mais de 5 anos em terrenos privados e da própria Prefeitura, localizados parte na Vila Bom Jesus e outra parte na Vila Amaral.

São famílias que não possuem documentação do terreno onde residem e a Cohapar fará a regularização fundiária através de uma empresa que trabalhará em conjunto para beneficiá-los, visando a matrícula definitiva do imóvel em seu nome.

De acordo com Chefe do Escritório Regional da Cohapar, Orlando Senff Junior, a regularização fundiária é muito importante para essas pessoas. “Elas já residem há anos nesses locais sem possuir nenhum documento garantindo de que aquele imóvel é seu. Essa ajuda em parceria da Cohapar com o município beneficiará a todos com seus documentos legais e definitivos. A matrícula de suas casas e terrenos constarão nos registros de imóveis. Uma garantia para que possam permanecer no local sem se preocupar.”

A regularização fundiária é um conjunto de medidas jurídicas e sociais que visam garantir o direito social e legal a moradia. Suas principais ações são: adequar os imóveis irregulares às normas urbanísticas, ambientais e imobiliárias da cidade; devolver à sociedade áreas degradadas revitalizadas e recuperadas; regularizar as ocupações urbanas promovendo a titulação de propriedades sem documentação no Estado e recuperar as áreas de proteção ambiental degradadas e reassentar as famílias, quando necessário. O programa se destina às famílias residentes em áreas de ocupação irregular consolidada, em todos os municípios paranaenses.

Segundo o presidente da Cohapar, Nelson Cordeiro Justus, no presente evento foi lançada a ordem de serviço para iniciar o processo. “Já existe a garantia dos recursos e a licitação para efetuar o trabalho já está pronta. Temos a certeza que essas 451 famílias terão em breve, o título de propriedade em suas mãos.”

Morar Legal Paraná

O programa Morar Legal Paraná foi desenvolvido pela Cohapar para ampliar a efetividade da regularização fundiária no estado do Paraná. Por meio deste programa, os municípios interessados indicam áreas que pretendem regularizar. Após esta etapa, a Cohapar realiza uma licitação para contratação de empresas especializadas para realizarem os serviços, sendo que os recursos para pagamento são oriundos do Fundo Estadual de Combate à Pobreza.

Habitação Rural

No mesmo evento foram entregues 25 casas rurais às respectivas famílias são-mateuenses que foram beneficiadas com o programa da Cohapar, que objetiva garantir a moradia digna ao homem do campo. Todas as unidades já estão concluídas.

Orlando afirma que com a entrega de mais essas unidades habitacionais rurais, a Cohapar completa 151 unidades em São Mateus do Sul. “É um programa destinado para os pequenos agricultores que tenham renda de até R$ 15 mil por ano. Os agricultores têm a contrapartida de arcar com apenas 4% do valor da casa, ou seja, pagarão 4 parcelas de R$ 285 por ano. O valor de cada casa é de R$ 28,5 mil.”

Entrega da chave para uma das 25 famílias beneficiadas pelo programa Habitação Rural do Cohapar. O objetivo é garantir moradia digna para o homem do campo.

O Programa de habitação rural do governo do Estado é desenvolvido em parceria com o Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR), integrante do programa Minha Casa Minha Vida, e tem a finalidade de possibilitar a agricultores familiares, trabalhadores rurais e comunidades tradicionais, como quilombolas, extrativistas, pescadores artesanais, silvicultores, agricultores, ribeirinhos e indígenas, o acesso à moradia digna no campo. Com a construção de novas moradias, o objetivo é possibilitar a permanência da população no meio rural e seu desenvolvimento econômico e social.

Enquadram-se neste programa: os agricultores familiares, trabalhadores rurais e comunidades tradicionais que praticam atividades no meio rural; os que não detenham área maior que quatro módulos fiscais; os que utilizam predominantemente a mão-de-obra da própria família nas atividades econômicas do seu estabelecimento e tenham percentual mínimo da renda familiar originada destas atividades econômicas.

Justus afirma que a formalização da entrega das casas rurais, um programa onde a Cohapar se destaca nacionalmente, é fruto de longa data. “Isso acontece pela boa parceria que a Cohapar tem com os municípios. O prefeito Luiz Adyr fez a parte dele levando até nós as demandas, e cumprimos a missão.”

O presidente da Cohapar enfatiza ainda que existem projetos para a área urbana são-mateuense em andamento. A Prefeitura Municipal tem feito o papel de chamar as pessoas para fazerem o cadastro, ressaltando a importância da população para o recebimento do benefício.

“O cadastramento online da Cohapar foi criado para que qualquer pessoa possa acessar o site e fazer seu registro para que os técnicos realizem a análise do perfil socioeconômico. Baseados nessas informações, serão criados programas habitacionais específicos para São Mateus do Sul. Por isso é preciso que as pessoas façam o cadastro e beneficiem a cidade e a si mesmo”, completa Justus.

Acesse o site: www.portal.cohapar.pr.gov.br:81/pretendentesOnline/#B

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
1ª Remada Ecológica retira mais de 300 kg de lixo do rio Iguaçu
Saiba quais pontos foram elencados como fundamentais nas Oficinas realizadas pelo Plano Diretor
Caça ao tesouro finaliza a tradicional gincana são-mateuense com quase 10h de busca