Esta Semana

Com açúcar, com Afeto!

Top Chef, Masterchef, Super Chefinhos, Bake off Brasil… são alguns dos atuais fenômenos dos reality show na TV brasileira.

Não importa a emissora, o sucesso de botar pessoas comuns ou chefes de cozinha para gladiarem-se, vai além de vê-los disputando, está lá, no inconsciente do nosso coração, ou seria estômago?

Procurar, aprender uma receita, fazer uma boa compra, preparar os alimentos, cortar, picar, provar e dar “a luz” a um prato, é mais que uma simples ação, algo maquinal, como diria o sábio Rubem Alves, cozinhar é um ato de doação.

Quando cozinhamos para alguém ou para nós mesmos, estamos fazendo algo que vai além do ato de ingerir o alimento, estamos mexendo com a química, o paladar, o desejo, ou seja, estimulando vários sentidos e lidando com a ciência como uma forma de alquimia do sabor.

Desde pequenos temos um certo fascínio pelo ato de cozinhar. Quando criança ficava fascinada ao ver minha mãe preparando o pão caseiro. Que loucura isso, de misturar trigo, água, fermento e no final ficar essa maravilha de pão quentinho e saboroso! Isso valia para os bolos.

Fazer um bolo fofinho e gostoso sem dúvida foi uma das minhas conquistas pessoais, exagero? Para mim não foi, afinal, depois de tantos bolos abatumados, a persistência em conjunto com a medida certa para cada ingrediente, me fez perceber que somos todos capazes de dar prazer através do carinho e uma fatia de um bolo fresquinho.

Outra memória saudosa e saborosa que guardo na lembrança, é do café da tarde de minha saudosa bisavó. Aquela bolacha caseira e o cheiro do café estão guardados carinhosamente em minha memória afetiva.

Nos vemos atolados em compromissos, com a agenda e a rotina cada vez mais tumultuada, a corrida vida contemporânea. A cozinha para muitos, virou apenas o micro-ondas. Onde desgela e esquenta. Mas o prazer do cheiro do alho frito? Do feijão fresquinho? E o prazer de ter amigos e familiares se alimentando e deleitando de uma boa refeição? Isso não tem preço.

O desafio para nós, jovens adultos é não deixar o prazer de cozinhar morrer. É fazer da cozinha um laboratório e acima de tudo um templo do sabor, onde iremos passar para nossos filhos e netos o prazer desta alquimia que transforma os estados da matéria e desperta o paladar e o coração.

Finalizo este texto com uma frase do mestre e uma receitinha que só de ler me dá água na boca!

“A mente é uma grande cozinha. Pensar é cozinhar: Transformar ideias cruas pelo poder do Fogo – Rubem Alves”

Bolo de Cenoura com Cobertura de Chocolate:

Massa – Bater tudo no Liquidificador –  Assar por 30min

  • 3 cenouras picadas
  • 3 ovos
  • 1 xícara de óleo de soja
  • 3 xícaras de farinha de trigo
  • 2 xícaras de açúcar
  • 1colher de fermento químico em pó

Cobertura – Levar ao Fogo

  • 1 colher de margarina
  • 1?2xícara de leite
  • 5colheres de achocolatado em pó
  • 4 colheres de açúcar
Últimos posts por Ed Guimarães (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Não se Cale
Olhar de Poeta
Zine – Dando voz a sua Arte!