Cidade

Compagás promove audiência pública sobre instalação do gasoduto em São Mateus do Sul

Fotos: Assessoria PMSMS

Fotos: Assessoria PMSMS

A Companhia Paranaense de Gás (Compagás) realizou na noite da última quarta-feira, 16, uma audiência pública para apresentar e esclarecer dúvidas da população em relação ao projeto de instalação da rede de distribuição de gás natural em São Mateus do Sul. Em fase de licenciamento ambiental para a execução do projeto, as obras deverão ser iniciadas no segundo semestre do ano que vem, segundo a Compagás.

São esperados cerca de R$220 milhões em investimentos da Compagás para a consolidação do projeto, que integra uma ampliação da rede de distribuição de gás natural entre os municípios de Araucária e São Mateus do Sul, passando por Antonio Olinto, Lapa e Contenda.

A audiência em São Mateus do Sul aconteceu no Salão Nobre do Colégio Estadual Duque de Caxias e reuniu cerca de cem participantes, entre lideranças políticas regionais, representantes da indústria e do comércio são-mateuense, instituições de ensino e comunidade em geral.

IMPACTOS AMBIENTAIS SÃO MÍNIMOS, GARANTE COMPAGÁS

Principal tópico debatido na audiência, o impacto ambiental relativo à instalação do gasoduto em São Mateus do Sul deverá ser mínimo, de acordo com o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) apresentado pela Compagás. A avaliação técnica apresenta um diagnóstico completo da questão ambiental e possíveis soluções de monitoramento desses impactos. “A maioria dos efeitos decorrentes do empreendimento deverá apresentar pequena magnitude, sendo em geral restritos à área diretamente afetada ou, no máximo, afetando de maneira sutil as condições do entorno desta”, atesta o Relatório de Impacto ao Meio Ambiente (RIMA), que sintetiza as informações técnicas do EIA.

Outro tópico apresentado pelo estudo, a Avaliação Ambiental faz uma projeção em relação ao ambiente com ou sem a instalação do gasoduto. Com a instalação do gasoduto, o principal reflexo positivo para a região neste cenário é o desenvolvimento econômico, além do aumento nos investimentos em compensação ambiental, que poderão ser destinados à gestão das unidades de conservação regionais. Por outro lado, sem o gasoduto, segundo o estudo, a tendência é que as fontes de energia utilizadas para queima industrial continuem sendo o carvão e lenha, ambos com maior capacidade de geração de gases de efeito estufa e resíduos.

FUTURO PROMISSOR

“O gasoduto vai ser um atrativo a mais para que indústrias venham se instalar em São Mateus do Sul”, atesta o Secretário Municipal de Indústria e Comércio, Renato Possebon. “Todo município quer e precisa atrair novas empresas. E essas empresas escolhem os municípios que tenham melhores condições para que possam se adequar e ter facilidades. A questão energética é um ponto importantíssimo”.

Possebon destaca ainda outros aspectos que fundamentam seu otimismo em relação ao futuro industrial de São Mateus do Sul, como o treinamento de mão-de-obra (com as escolas técnicas públicas e privadas e nos cursos realizados nas sedes recém-inauguradas do Senac e do Senai); a educação pública de qualidade, que, segundo o Secretário, traz uma boa perspectiva de criatividade e inovação para o futuro (alunos da rede pública estão tendo conteúdos relacionados a empreendedorismo através de uma parceria com o Sebrae); e ainda a futura duplicação da BR-476, anunciada recentemente e que trará um ganho na logística da região.

Em sua fala na abertura da audiência, o prefeito Clovis Ledur destacou a importância do gasoduto para o futuro da indústria em São Mateus do Sul. “Desde que assumimos a prefeitura, venho falando sobre a importância de termos a rede de distribuição de gás natural em nosso município. Unimos forças, juntamente com outros municípios, com o deputado Hussein Bakri e com a Compagás, para que o gasoduto viesse para a nossa cidade e, agora, estamos com essa grande perspectiva de ampliarmos nossa fonte de energia, que vai atrair a vinda de novas indústrias para São Mateus do Sul”, disse.

Ledur aproveitou a oportunidade para agradecer publicamente a atuação do deputado estadual Hussein Bakri que, segundo ele, teve atuação significativa para que a rede de distribuição de gás natural viesse favorecer a região sul do Paraná. “Temos um representante legítimo da nossa região dentro da Assembleia Legislativa e isso faz com que tenhamos força dentro do Governo, com alguém que luta por nós todos os dias lá dentro”, elogiou.

Fonte: Assessoria PMSMS

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Morre médico ginecologista e obstetra Celso Andreacci
Jornal Aconteceu paralisa atividades na cidade
Arraiá julino solidário anima o fim de semana do Grupo Resgate Gaúcho

Deixe seu comentário

*