Cidade

Confira os registros civis que aconteceram em 2016 no Paraná e em São Mateus do Sul de acordo com o IBGE

Essas mudanças foram contabilizadas e divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no início do mês. O IBGE em São Mateus do Sul tem sede no Terminal Rodoviário Guilherme Kantor. (Foto: Cláudia Eduarda Burdzinski/Gazeta Informativa)

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) é responsável pelos levantamentos e gerenciamentos que acontecem em nosso país, e no ano de 2016 os principais pontos destacados pelo IBGE foram:

Paraná registra queda de 3,9% no número de nascimentos

Em 2016, ocorreram e foram registrados 154.077 nascimentos no Paraná, o que representa uma queda de 3,9% em relação ao ano de 2015. De acordo com Leandro Nizer, funcionário do IBGE do município, “São Mateus do Sul apresentou 571 nascimentos no ano passado, em 2015 foram 610”.

Casamentos diminuem entre 2015 e 2016

Em 2016, no Paraná, foram registrados 61.868 casamentos civis, sendo 230 entre pessoas do mesmo sexo.

Na comparação com 2015, quando houve 65.264 casamentos – 297 entre casais homoafetivos – a redução é de 5,2%. No Brasil como um todo, a queda é de 3,7% e em Curitiba, 0,3%.

“O município teve o número de 143 casamentos em 2016. Em 2015 o número era de 247”, conta Leandro.

Divórcios aumentam no Brasil e diminuem no Paraná

Enquanto no Brasil, entre 2015 e 2016, houve um aumento de 4,7% na quantidade de divórcios concedidos em 1ª instância ou por escrituras extrajudiciais, o Paraná registrou queda de 0,9%. Com 23.097 divórcios, o número é o menor registrado desde 2012, quando 23.196 casais se divorciaram no estado.

Para a maioria dos casais (20,4%), o tempo transcorrido entre a data do casamento e a da sentença ou escritura do divórcio foi de 26 anos ou mais.

São Mateus do Sul contou com 8 divórcios em 2016.

Óbitos aumentam 5,7% no Paraná

Considerando os registros com informações de sexo e idade da pessoa falecida, de 2015 para 2016, o número de óbitos no Paraná passou de 70.440 para 74.477, o que representa um aumento de 5,7%.

No estado, em 2016, a maioria das mortes ocorreu por causas naturais (92,5%) e entre pessoas acima dos 65 anos (59,8%).

No Brasil, entre 2015 e 2016, o aumento no número de óbitos foi de 3,5%, passando de 1.227.396 para 1.270.898.

“O município apresentou o número de 243 óbitos em 2016, sendo 4 menores de um ano de idade”, conta.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Centro Cultural do Cepe é palco para o Furdunço na Roça
CDL lança campanha ‘Natal da Família’ e ‘troco solidário’
Câmara aprova e prefeito sanciona novo perímetro urbano