Cidade

Confraria Beta realiza a 14ª Caça ao Tesouro em São Mateus do Sul

Erasto Gaertner, responsável pela Confraria Beta, organizadora da Caça ao Tesouro em São Mateus do Sul. (Foto: Cláudia Burdzinski/Gazeta Informativa)

No começo da madrugada de domingo (26/11), dezenas de são-mateuenses foram em busca de um só propósito: encontrar o tesouro que estava escondido em algum lugar nas redondezas do centro de São Mateus do Sul. E para chegar até o local escolhido pelos organizadores, os participantes tiveram que resolver enigmas, pistas e charadas.

Separados em duas equipes distintas, “Os Bunitão” e “CDI Competições”, os participantes foram destinados até os QG’s, local onde formavam a concentração de toda equipe, que também era destinado a desvendar os enigmas que foram apresentados. Dessa maneira, iniciando às 00h, do dia 26 de novembro, as primeiras pistas foram entregues, e foi nesse momento que a movimentação veio à tona.

Diversos locais e pontos estratégicos estavam escondidos entre as interrogações, que fez com que os grupos escolhessem entre os membros divisões e formas para aguçar a inteligência entre os participantes da equipe, que se dividiam em táticas e habilidades para desvendar as pistas, e os grupos que iam até a rua em busca de códigos que eram usados para a liberação de mais enigmas.

Idealizado pela Confraria Beta que organiza as caças desde 2002 no município, nessa edição contou com 5 organizadores responsáveis pela elaboração, preparação e didática da Caça ao Tesouro, que de acordo com Erasto Gaertner, um dos responsáveis pela Confraria, “esse estava com a mesma dinâmica das caças anteriores, mas que se tornou bastante diferente dos demais”.

Estando dois anos consecutivos sem a realização, o andamento e retorno da caça em 2017 aguçou ainda mais a animação dos veteranos e calouros participantes da Caça ao Tesouro, que se sentiram motivados independente de vitória ou derrota.

Trabalhando com movimentação em equipes, Erasto acrescenta, “acredito que atividades como essa fazem com que a sociedade cresça, e esse é meu objetivo com a caça: ir atrás de uma dinâmica que motive as pessoas à irem em busca de algo maior”.

Por volta das 5 horas da manhã, a equipe Os Bunitão, que participa desde a primeira caça, encontrou o tesouro, e de acordo com Nilva Elaine Graboski, uma das representantes do grupo, “em cada caça que participamos temos novas emoções e novas conquistas. Nunca uma caça é igual a outra, visto que o próprio grupo muda a cada ano, adquirindo novas posturas, mostrando superação, sempre com espírito de amizade e coletividade”.

Nilva também conta que apesar dos novos participantes, a união e ajuda esteve sempre presente. “À cada prova solucionada, à cada charada resolvida, à cada pista encontrada, todos os momentos se tornaram emocionantes. Quem participa de uma caça, nunca mais esquece!”, diz.

O grupo também apresenta um papel social, visto que realiza o Natal Solidário. “Aproveitamos a oportunidade para pedir doações de cestas básicas ou dinheiro (que será revertido em cestas básicas, brinquedos ou outros alimentos) em doação para famílias mais necessitadas”, convidam. O grupo Os Bunitão busca levar momentos agradáveis a todos, com brincadeiras, lanches e brinquedos para as crianças e uma cesta básica para garantir um natal menos sofrido para famílias necessitadas.

De acordo com Mozart Moreira, coordenador da equipe CDI Competições, “iniciamos nossas atividades ao caça no ano de 2012, e tivemos como objetivo principal desde a sua fundação estimular o lado cooperativo e da organização conjunta, explorando assim de cada integrante o seu potencial”, conta.

Mozart também ressalta que 85% da equipe era formada por integrantes novos, na sua grande parte adolescentes. “E claro o que sobrou de empolgação faltou em experiência, o que fez com que ficássemos atrás da equipe adversária, porém tiramos desta experiência muitos frutos positivos, novos colaboradores e uma energia muito grande para os próximos caças”.

O coordenador defende que ao final em vez de “tristeza” ficou no ar a vontade de empenho garantindo a segurança e experiência para as próximas edições da caça. “Agradecemos a Confraria Beta por nos proporcionar essa importante atividade que durante o tempo vem se perdendo. Interagir e compartilhar de forma real é o segredo para o desenvolvimento pessoal e cooperativo”, encerra.

Membros da equipe CDI Competições. (Foto: Acervo Pessoal)

Membros da equipe Os Bunitão. (Foto: Acervo Pessoal)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Cavalgada reúne dezenas de cavaleiros em festa na capela da Rosa Mística
Prefeitura realiza 8ª entrega dos Kits Merenda Escolar
A falta de moedas em circulação no comércio gera preocupação aos empresários são-mateuenses